Jihadistas marroquinos detidos planeavam ataques no mar

Uma célula do Estado Islâmico desmantelada na semana passada planeava atacar Casablanca e o seu porto, mas um militante sírio que ajudou o grupo continua em liberdade, disse o chefe da agência de segurança de Marrocos no BCIJ na Segunda-feira.

O grupo tinha como alvo sites economicamente sensíveis, tanto na cidade de Casablanca quanto no exterior, disse Abdelhak Khiame, acrescentando que os jihadistas, todos com idades entre 19 e 27 anos, foram radicalizados online.

Khiame disse que a célula foi provavelmente a última a prometer lealdade ao líder do Estado Islâmico Abu Bakr al-Baghdadi antes de ser morto no Sábado num ataque das forças especiais dos EUA no Noroeste da Síria.

A polícia informou na Sexta-feira que prendeu sete supostos militantes perto de Casablanca e nas áreas do Norte de Ouazzane e Chefchaouen, em posse de armas de fogo, material para fabricação de bombas, barco insuflável, ferramentas de mergulho e navegação.

“O líder da célula tentou juntarse ao EI no Sahel, mas fracassou”, disse ele, referindo-se à área que se estende ao longo da margem Sul do Saara, na África Ocidental.

O grupo jihadista global o instruiu a preparar ataques no interior de Marrocos e um sírio sem nome lhe forneceu ajuda logística”, disse Khiame. “As armas apreendidas são originárias da região do Sahel”, acrescentou.

error: Content is protected !!