11 alunos desmaiam no Liceu da Caála

Onze alunos do Liceu da Caála, no município com o mesmo nome, província do Huambo, desmaiaram ontem, em plena de sala de aulas, por razões ainda desconhecidas.

Os 11 alunos apresentaram, antes dos desmaios, problemas de respiração, coceiras, irritações na garganta e nos olhos, tosse e sensação de pânico, segundo testemunhas ouvidas pela ANGOP.

Ao confirmar o facto, o administrador do Liceu, Aurélio Mário Vissimo, disse que os alunos mostravam ainda sintomas de dor de cabeça e tonturas, uma situação que deixou a instituição escolar em pânico, forçando, deste modo, o seu encaminhamento urgente ao hospital municipal local.

No entanto, o responsável referiu que os exames efectuados no hospital municipal não determinaram qualquer elemento tóxico no organismo dos alunos, de ambos os sexos, que chegaram a desmaiar durante a aula.

‘Mistério’ aguarda por resposta há 10 anos

Em Agosto de 2011, o então Presidente da República, José Eduardo dos Santos, criou uma comissão multi-sectorial para avaliar o fenómeno dos desmaios e encontrar os mecanismos para se normalizar a situação. O grupo foi também incumbido de responder às ocorrências e dar instruções aos responsáveis das escolas.

Integraram o grupo multisectorial, os responsáveis dos ministérios do Interior, Educação, Saúde, Ambiente, Reinserção Social e Comunicação Social.

Ainda em Agosto, técnicos da investigação prenderam três pessoas em Cabinda que revelaram aos investigadores que a substância que provocava os desmaios tinha como solvente a ‘creolina’ e que a acção era desencadeada por um grupo sedeado em Luanda.

error: Content is protected !!