Biocom eleva a produção de açúcar para 110 mil toneladas este ano

A Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom), vocacionada na produção de açúcar branco, aumentou a sua produção este ano, para 110 mil toneladas do produto, contra as anteriores 73 da lavoura do ano passado.

O facto foi revelado pela responsável da área de agricultura, Fernanda Santos tendo argumentado que tal deveu-se ao aumento da área de produção de cana-deaçúcar, que actualmente totaliza 27 mil hectares, numa área total de 81 mil.

Embora tenha reconhecido os desafios impostos pela crise económica e financeira que o país vive, a engenheira agrária, considera existir oportunidades no mercado, mas que precisam ser exploradas.

Uma delas, segundo aponta, passa por uma aposta séria na tecnologia de mecanização com vista a maximizar os níveis de produção, sendo esta a principal matéria- prima de sustentabilidade da indústria.

A estratégia de sustentabilidade da componente hídrica também faz parte da sua lista de prioridades, numa altura em que para assegurar a produção optou-se por dois sistemas; o de sequeiro (dependente das chuvas) e o de regadio (baseado em fonte de água, alternativo e época de estiagem).

“O nosso maior desafio é aumentar a produção de cana-deaçúcar branco. Queremos produzir com qualidade face aos desafios macroeconómicos”, acrescentou a especialista de nacionalidade brasileira.

Quanto à produção de etanol, companhia atingiu já os 19 mil metros cúbicos (19 milhões de litros) enquanto a produção de energia ronda à volta dos 46 Mega Watt.

“Mercado continua atractivo” Apesar da crise macro-económica e a flutuação da taxa de câmbio, a Biocom considera que a situação ainda não afecta gravemente, quer ao nível da sua produção, bem como ao nível dos seus fornecedores.

Em relação aos preços, a entrevistada garantiu que continuam inalterados, “basta ver que 50 quilogramas de açúcar está cotado em 12 mil Kwanzas ao contrário do mercado que já ronda os 16 mil”, enfatizou.

A produção de energia destinada ao mercado interno, em termos de energia eléctrica tem como cliente a RNT (Rede Nacional de Transporte de Electricidade) e o etanol é fornecido às indústrias de bebida e produtos de limpeza.

A Biocom pretende contribuir para o desenvolvimento de Angola por meio da produção de alimentos e de energia eléctrica a partir da biomassa e da produção de combustíveis a partir de fontes renováveis.

A Biocom é a primeira empresa de Angola a produzir e comercializar açúcar, etanol e energia eléctrica a partir da biomassa.

A sua produção teve início em 2015, embora tivesse sido inaugurada aos 29 de Junho de 2014. Está instalada no PAC – Polo Agro-Industrial de Capanda, na Província de Malanje, Município de Cacuso.

error: Content is protected !!