Exército libanês pede que manifestantes abram estradas após renúncia do primeiro-ministro

Soldados libaneses e autoridades de segurança pediram aos manifestantes que abrissem as estradas bloqueadas na Quarta-feira para que a vida voltasse ao normal, depois de durante 13 dias as manifestações paralisarem o país e forçaram o primeiro-ministro a renunciar.

As tropas abriram uma importante rota ao Norte de Beirute, depois de brigarem brevemente com manifestantes pela manhã. Um grupo de soldados tentou pegar um veículo que bloqueava a rodovia antes que ela partisse, mostraram imagens da televisão al-Jadeed.

Na Ponte do Anel, no centro da capital, um oficial de segurança tentou convencer as multidões a abrir caminho para hospitais próximos. “Eu vou ficar aqui”, disse uma mulher à Reuters enquanto espalhava cobertores pelo caminho.

Saad al-Hariri renunciou ao cargo de primeiro-ministro do Líbano na Terça-feira, derrubando o seu Governo de coligação. Ele disse que havia atingido um “beco sem saída” ao tentar resolver a crise desencadeada pelos enormes protestos contra a elite dominante.

Num comunicado, o comando do exército disse que as pessoas tinham o direito de protestar, mas isso se aplicava “apenas nas praças públicas”.

O principal campo de protesto em uma praça no centro da capital estava silencioso, mas estava fechado ao tráfego pelas forças de segurança.

Hariri fez o seu discurso de demissão depois de uma multidão leal ao Hezbollah muçulmano xiita e aos movimentos de Amal atacarem e destruíram um campo no centro de Beirute. Foi o conflito mais sério nas ruas de Beirute desde 2008, quando os combatentes do Hezbollah tomaram o controlo da capital numa breve erupção do conflito armado com adversários libaneses leais a Hariri e seus aliados na época.

A partida de Hariri, tradicionalmente apoiada pelos aliados ocidentais e sunitas do Golfo Árabe, empurra o Líbano para um território político imprevisível. Os protestos agravaram os já graves problemas económicos do Líbano e os bancos mantiveram suas portas fechadas na Quarta-feira.

error: Content is protected !!