Um debate… disciplinado

Não houve puxa-cabelos (que quase nenhum tinha, aliás), nem ataques pessoais. O debate eleitoral de ontem na TV Zimbo, com os cinco candidatos a presidente da UNITA, acabou mesmo por espelhar um acordo de cavalheiros em nome do partido. Eles sabiam que se andassem ao estalo exporiam o partido. A mensagem foi: com qualquer um de nós, a UNITA está segura e os angolanos podem contar para começar a escalada para o poder já em 2020, nas eleições autárquicas. Sim , a velha lógica da disciplina partidária.

Os cinco debatentes mostraram também que continuarão na direcção do partido, independentemente de quem vença as eleições. Mas falaram sobretudo para as bases, evocando vezes sem conta os ensinamentos de Savimbi, o fundador da UNITA, sinal de que sabem que o congresso não perdoará quem se desvie da linha de Mwangai. Aqui perderam a oportunidade de seduzir os angolanos no geral, já que pelos estatutos do partido em vigor, o presidente da UNITA é o cabeça de lista nas eleições gerais, portanto, candidato a Presidente da República.

Porém, numa oportunidade de ouro como a dada pelos órgãos do grupo Media Nova, já que o debate teve transmissão também na Rádio Mais, e ainda para mais sendo o primeiro debate eleitoral político televisivo na história angolana, bem, faltaram diferenças, ou a coragem de ser diferente mesmo aos olhos do Congresso. Foi tanta disciplina que, se para os membros da UNITA poderá ter fi cado difícil distinguir quem daria num bom presidente, para o país fi cou ainda mais difícil decidir quem daria num bom Presidente da República. Mas foi democrático.

error: Content is protected !!