Bornito de Sousa testemunha investidura do Estadista tswanês

 O Presidente do Botswana, Mokgweetsi Eric Masisi, iniciou esta sexta-feira, em Gaberone, o seu mandato de cinco anos, prometendo dias melhores ao seu país.

O político e académico Mokgweetsi Masisi, de 58 anos, é o quinto Presidente do Botswana desde a independência do país, em Setembro de 1966.

A cerimónia de posse durou três horas e foi testemunhada pelo vice-presidente da República, Bornito de Sousa, por membros da classe política, entre os quais da oposição e milhares de cidadãos, que lotaram o Pavilhão Multiusos da Universidade do Botswana, em Gaberone.

Os presidentes de Moçambique, Filipe Nyusi, do Zimbabwe, Emmerson Manangagwa, e da Zâmbia, Edgar Lungo, testemunharam também o acto, marcado com a exibição de grupos de dança tradicional e a presença de líderes religiosos.

No seu primeiro pronunciamento como presidente de todos os tswaneses, Mokgweetsi Masisi reforçou o discurso usado na campanha eleitoral, prometendo promover a paz e estabilidade da nação e combater a corrupção.

“Estabilidade política e económica do país é a nossa bandeira, uma nova era se inicia para o Botswana, afirmou, diante de uma multidão que o aplaudia intensamente.

Mokgweetsi Masisi, acompanhado da esposa, Neo Iane Masisi, prometeu criar vários postos de trabalho, em especial para a juventude, bem como fortalecer as estruturas governativas, melhorar a prestação de serviços e combater o HIV-SIDA no país.

Na sua intervenção, de 40 minutos, o Estadista informou que vai rever alguns aspectos da Constituição que, a seu ver, se encontram desactualizados.

Mokgweetsi Masisi prestou juramento à Constituição e assinou o termo de posse, diante de um plenário liderado pelo juiz presidente daquele país, Terrense Ronnowane.

Nas eleições gerais de 23 de Outubro no Botswana, Mokgweetsi Masisi foi eleito para um mandato de cinco anos e o seu partido, no poder desde 1966, conquistou a maioria dos assentos no Parlamento.

Elogiado até agora pelas suas práticas democráticas e estabilidade exemplares, este país da África Austral, rico em diamantes e elefantes sofreu, recentemente, um abalo, devido à guerra interna no partido no poder entre o antigo presidente, Ian Khama, e o seu sucessor, Mokgweetsi Masisi.

O conflito entre os dois líderes levou o antigo presidente a abandonar o próprio partido. Durante a campanha eleitoral, pediu inclusive votos para um partido da oposição liderado pelo seu irmão.

O partido no poder obteve, no entanto, 29 assentos, de um total de 57, o mínimo estabelecido para criar governo e manter a posição que essa força política ocupa desde a independência do país, em 1966.

error: Content is protected !!