Nuances do debate a cinco

Ontem, neste espaço, eu disse que o debate eleitoral da UNITA na TV Zimbo foi disciplinado, e foi, mas vamos a outros aspectos: Os cinco candidatos mostraram que a UNITA está a projectar o congresso deste mês como plataforma para a batalha eleitoral autárquica, chegando Alcides Sakala a ameaçar com pressão por meios democráticos, incluindo manifestações, se a implementação das autarquias, previstas para 2020, for adiada; A UNITA está empenhada em seduzir o eleitorado nacional, mas sem se descaracterizar nos princípios. Isto se explica pela forma como todos buscaram relevar os “ensinamentos patrióticos” de Savimbi, como Kamalata Numa se afirmou longe de radicalismos, reclamando o mérito do partido ter participado nas eleições de 2012, com a crise aberta por causa da presidência da CNE, por exemplo, ao mesmo tempo de Adalberto da Costa Júnior, lançou a ideia de eleições primárias no partido e da separação entre a Presidência da República e a do partido; E a sedução tem de ser abrangente nacional, com Numa a reclamar pela África esquecida, rural, e pelos antigos combatentes, Sakala a dar a ideia de que a democratização da UNITA alavanca a democratização do país e Danda e Katchiungo a piscarem o olho para o público académico. E mais, passando por cima dos regionalismos, Raul Danda, que é de Cabinda, nas citações populares que fez fê-las em umbundo. Sim, o debate foi todo ele um acto de sedução mostrando uma UNITA moderna, urbana e virada para o futuro. Resta esperar pelas respostas dos adversários.

error: Content is protected !!