II Censo agro-pecuário e pesca em 58 anos, resultados só em 2020

O projecto conta com o financiamento do Banco de Desenvovimnto de Angola avaliados em USD 24, 9 milhoes

Por:Norberto Sateco

“O censo vai marca uma nova fase de recolha de dados, no sector produtivo primário”, assim classificou o coordenador-adjunto geral do programa, Anderson Jerônimo, ontem, a propósito da apresentação pública do projecto, aos jornalistas nacionais e estrangeiros. Para aquele dirigente, a iniciativa do Governo, sob a égide do Instituto Nacional de Estatisticas (INE), surge numa fase particular do país, onde o maior desafio reside no incremento da produção interna, por via do sector primário.

O processo, acrescentou, compreende quatro etapas, tendo começado em Março último nas províncias de Benguela, Cunene, Cuanza Sul, Moxico e Uíje. Nesta primeira fase, a prioridade recai para a formação de pessoal seleccionado para integrar as comissões provinciais e municipais. Um dos grupos alvos a serem atingidos são os operadores privados e estrangeiros, que precisam fazer as suas projecçoes, bem como as instituições que queiram melhorar a elaboração dos seus planos, estratégias e controlo da política pública. Aquele dirigente garantiu que até Dezembro de 2020 o país poderá conhecer os primeiros resultados do censo agropecuário e das pescas. Em relação ao censo piloto realizado em cinco províncias do país, desde Janeiro ultimo, permitiu avaliar as características agrícolas e piscatórias destas províncias.

“Finalizamos os questionários para o último teste para evitar a margem de erros”, esclarece o responsável, um processo que contou com 800 recenseadores, Entretanto, a semana passada, o director do INE, Camilo Ceita, reconheceu alguns desafios que se vão enfrentar durante o processo, tendo por isso, solicitado maior colaboração dos administradores municipais, tendo em conta as dívidas às autoridades tradicionais ainda por pagar e referentes ao Censo Geral da População, realizado em 2014.

“Eu reconheço que temos uma dívida com as autoridades tradicionais (cerca de seis mil sobas), com os quais trabalhamos durante o Censo Geral da População (2014), mas dificuldades financeiras que se colocaram a partir de Junho de 2014 levaram a essa situação, que espero que seja resolvida tão logo haja recursos”, referiu o dirigente. O censo agropecuário e pesca estará consubstanciada na recolha estatística, processamento e divulgação sobre a estrutura da agricultura, pecuária e pescas em todo o país. O primeiro censo agropecuário foi realizado em Angola em 1961, na era colonial.

error: Content is protected !!