Nacionalidades cruzam-se em investimentos da ZEE Luanda-Bengo

Um grupo empresarial indiano é um dos primeiros a arregaçar as mangas este mês, mas espera-se por investimentos da China, França, Japão, Portugal, África do Sul e Estados Unidos da América

O grupo empresarial indiano Palmentar Comércio Geral está a investir 2 milhões e 700 mil dólares numa fábrica de detergentes e produtos de higiene, situada na Zona Económica Especial (ZEE) Luanda/ Bengo. A assinatura do contrato para a instalação da referida fábrica aconteceu, recentemente, em Luanda, entre o presidente do Conselho de Administração da ZEE, Henriques da Silva e o representante da referida empresa, cujo nome não foi revelado à Angop. O projecto, de acordo com a fonte da Angop na ZEE, será implantado numa área de 2,5 hectares, cujas obras começam este mês de Novembro, com um prazo de conclusão de 12 meses. Pelo menos 39 postos de trabalho para nacionais e quatro para estrangeiros serão criados. Além de indianos, estão a investir na ZEE empresários da Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos e Eritreia.

A título de exemplo, empresários dos Emirados Árabes Unidos investiram, na ZEE, na montagem de uma fábrica de processamento de produtos agrícolas, como de montagem de tractores, enquanto indianos estão a investir na montagem de uma fábrica de leite e de sacos de ráfia. Enquanto isso, empresários da Eritreia instalaram também na ZEE uma fábrica de sabão e sabonetes.

A Sociedade de Desenvolvimento da ZEE, criada em 2009, espera receber investimentos da China, França, Japão, Portugal, África do Sul e Estados Unidos da América.Com 160 empresas instaladas, no âmbito do Programa de Privatizações (Propriv), 25 aguardam pela privatização, depois da alienação de cinco unidades fabris no decurso deste ano. Na ZEE, estão instaladas fábricas ligadas à indústria alimentar, bebidas, metalurgia, de materiais de construção civil, plásticos, montagem de veículos, tintas e vernizes, e carpintaria.

error: Content is protected !!