PRS defende maior dinamismo na implementação do PIIM

Para Benedito Daniel, apesar das boas intenções, o plano não vai resolver os problemas na sua generalidade, a julgar pela complexidade de necessidades que os municípios ainda enfrentam e que carecem. Mais do que um plano integrado, ele quer uma verdadeira descentralização do poder, de forma a dar vida e autonomia às comunidades

Por:Domingos Bento

O presidente do Partido de Renovação Social (PRS), Benedito Daniel, defende maior dinamismo na implementação do Plano Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM), com vista a resolver com maior celeridade os problemas que os cidadãos vivem nas comunidades. Segundo o político, o programa, de iniciativa presidencial, lançado em Junho deste ano, ainda é desconhecido pela grande maioria dos cidadãos, sobretudo os das zonas do interior, que não têm qualquer informação sobre o que é o plano e as modalidades de aplicação para permitir um acompanhamento e fiscalização. De acordo com Benedito Daniel, que falava em recente entrevista a OPAÍS, com a situação actual dos municípios, que têm a grande maioria dos seus acessos degradados, seria bom que o PIIM fosse divulgado junto das comunidades para permitir que os cidadãos conheçam, de facto, os seus eixos no que toca a melhoria das condições sociais e de infra-estruturas.

O plano, que prevê a concretização de 236 projectos de vias de comunicação, repartidos pela colocação de asfalto, reabilitação e terraplanagem de estradas, bem como a instalação e reparação de pontes, está orçado no equivalente em kwanzas a dois mil milhões de dólares norte-americanos e congrega propostas de necessidades, de iniciativa dos municípios, ajustadas às prioridades locais e aos anseios da população. Para Benedito Daniel, apesar das boas intenções, o plano não vai resolver os programas na sua generalidade, a julgar pela complexidade de necessidades que os municípios ainda enfrentam e do que carecem. Mais do que um plano integrado, ele quer uma verdadeira descentralização do poder, de formas a dar vida e autonomia às comunidades. “O PIIM ainda vai demorar para se implementado. Apesar de ter sido lançado recentemente, a maioria dos municípios não conhecem o que é o PIM.

Portanto, não podemos pensar que o PIIM vai ser a grande solução dos municípios. É mais um projecto, é mais um processo que vai requerer tempo para se chegar aos resultados esperados”, frisou. No entender de Benedito Daniel, numa altura em que se assiste a uma forte degradação do país, é necessário que se encontre medidas estruturantes para a sua recuperação, que passam pelo empoderamento das pequenas iniciativas a nível local. “O Governo deve sair um pouco das prioridades macroeconómicas e priorizar as pequenas iniciativas que incidem directamente na vida das populações. E, a continuar assim, o PIIM terá muitas dificuldades para ser implementado”, apontou.

error: Content is protected !!