Artistas angolanos efectuam intercâmbio cultural em São Paulo

A comitiva composta por mais de 10 cidadãos, durante a sua estadia vai ilustrar a dança tradicional com vários instrumentos de percussão, projectar filmes e ainda realizará palestras sobre as línguas nacionais. O colectivo vai igualmente aproveitar a estadia para celebrar os 44 anos de Independência do país, com a realização de uma exposição gastronómica

Um grupo composto por cidadãos angolanos, entre artistas e educadores, adstritos à Associação Globo Dikulo, encontra- se na cidade de São Paulo (Brasil), para completar a 2ª parte do intercâmbio cultural com o Projecto Raízes daquela urbe, iniciado em Julho do corrente ano, em Luanda. Este conjunto, composto por mais de 10 cidadãos, durante a sua estadia vai ilustrar danças tradicionais com vários instrumentos de repercussão, exibição de filmes, roda de conversa artística, apresentação musical, palestras sobre Língua Nacional e visitas aos vários pontos desta cidade, para que tal permuta seja concretizada.

O Presidente da Globo Dikulo, Orlando Domingos, avançou que a intenção é de efectuar a troca de experiências, bem como a possibilidade da realização de actividades artísticas conjuntos no futuro. O responsável avançou que as expectativas são altas, pelo facto dos concidadãos almejarem saber dos projectos futuros, após essa apresentação. “Em Fevereiro rubricámos um acordo de parceria e interacção com esta organização, e previa-se essa acção de intercâmbio, dividida em duas partes. Eles estiveram cá e pudemos ver que fizeram as suas constatações. Agora, estamos aqui para também fazer a nossa e, no final, entrar em um acordo, quanto à continuidade dos trabalhos”, explicou.

FESCALA

O grupo angolano vai ainda participar no “Festival de Cinema, Arte e Literatura Africana” (FESCALA), que decorre desde Quinta-feira, 31 de Outubro até 15 de Novembro, promovido pelo Projecto Raízes, vésperas do Dia da Consciência Negra. Orlando Domingos avançou que o dia da Independência do país, 11 de Novembro, será celebrado com a realização de uma exposição gastronómica. A mesma conta com a participação de cidadãos angolanos residentes e convidados neste evento. “Para além da dança, vamos apresentar os nossos quitutes, de modo a atrair a atenção dos visitantes. Vamos aproveitar ao máximo esse intercâmbio, para mostrar a nossa riqueza cultural”, enfatizou

Os actores

O encenador Isaías de Lemos, expectante, almeja que a jornada seja mostrada e bem recebida pelo público brasileiro, de modos a culminar com vários acordos artísticos, benéficos para ambos os países. ”Esperamos que a recepção do nosso trabalho seja positiva, uma vez que pretendemos apresentá-lo mediante aquilo que concerne com a arte angolana”, observou. Por sua vez, Rosa da Costa, que desempenha o papel de Relações Públicas, avançou que para além das visitas e exibições pretendem também mostrar o potencial da gastronomia e a cultura angolana, através da exposição de quitudes e trajes africanos.

O festival

O evento vai na sua 2ª edição e tem como objectivo trazer escritores, artistas, poetas e cineastas africanos para a promoção de cursos, oficinas, palestras e rodas de conversas artísticas. Uma das suas metas é de resgatar e promover as histórias e culturas africanas, por meios de várias disciplinas artísticas.

error: Content is protected !!