O diamante que não vemos

O diamante que não vemos

Uma empresa de lapidação de diamantes, denominada “KGK Angola”, com capacidade para processar 100 mil quilates brutos por ano, foi inaugurada nesta Segundafeira, em Luanda, elevando para quatro o número de unidades do género no país.

Portanto, com quatro empresas a lapidar diamantes, espero que em . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta