Sonair entrega aviões à TAAg e encerra no final do mês

A decisão de encerrar a companhia no ramo comercial é uma consequência do programa de restruturação da Sonangol, que integra o calendário de privatizações decidido pelo governo, com data de conclusão prevista para 2021

A companhia aérea Sonair, na sua componente de asa fixa, vai deixar de voar no final do corrente mês de Novembro. A empresa tem uma frota de dois Boeing 737-700 que, em princípio, irão ser adicionados à frota da TAAG Linhas Aéreas de Angola e mais 13 aviões bimotores turbo-hélices Beechcraft 1900D, cujo destino, para já, se desconhece.

A Sonair é uma das empresas do universo Sonangol – Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, que estava desde há vários anos no mercado, com a TAAG e outras companhias mais pequenas, nas ligações aéreas domésticas, nomeadamente para as províncias de Benguela, Cabinda e Huíla a partir de Luanda. Segundo apurou “OPAÍS”, os funcionários da Sonair já receberam no mês passado as notificações de que a companhia termina a sua actividade comercial e prevêse que alguns dos quadros técnicos possam ser absorvidos pela TAAG.

Os outros, dificilmente, já que a companhia de bandeira nacional debate-se com um número excessivo de empregados, estando em curso um plano de requalificação e redesenho da estrutura laboral da empresa que levará à dispensa de algumas centenas de trabalhadores na TAAG.

Se é verdade que os Boeing 737700 estão praticamente comprometidos para a TAAG, pouco se sabe sobre o destino dos 13 aparelhos Beechcraft 1900D da empresa, que serviam a rede da companhia em vôos regulares e de aluguer.

Por outro lado, a Sonair, no seu segmento de helicópteros, tem uma frota expressiva que continuará a ser explorada pela empresa garantindo toda a logística de transporte de técnicos e de trabalhadores para as plataformas de exploração de petróleo no país e entre as cidades onde tem montadas estruturas de apoio à produção petrolífera.

A Sonair distribuiu um comunicado em que afirma que, de “acordo com o Programa de Reestruturação em curso na Sonangol, e consequentemente na Sonair, a empresa comunica que a actividade de aluguer de aeronaves e de vôos domésticos para Catumbela, Lubango, Cabinda e Soyo será encerrado a partir do dia 30 de Novembro”.

“Iremos proceder à regularização da facturação entre ambas empresas para que sejam liquidadas todas as facturas referentes aos bilhetes vendidos até à data de encerramento dos serviços”, diz a notificação nº 3363 do Gabinete do Presidente do Conselho Executivo da Sonair.

Os dois aviões Boeing 737-700 actualmente ao serviço da Sonair chegaram novos para a empresa em Julho de 2007 (matrícula D2-EVW) e em Dezembro de 2008 (D2-EWS). Os aviões Beechcraft 1900D entraram entre 2002 e 2009.

Entretanto a TAAG não confirma nem desmente a informação. A área de comunicação solicitada a fazer um pronunciamento, depois de insistentes telefonemas, apenas enviou uma SMS a dizer que todas as informações em circulação “ainda não eram certezas”.

error: Content is protected !!