Presidente da Ordem dos Advogados de Benguela acusado de má-gestão

O candidato a presidente do Conselho Provincial da Ordem dos Advogados em Benguela Waldemar Tadeu acusa a direcçãocessante daquela instituição, que tem à testa Valdino Sima, de má-gestão e, por isso, recomenda uma auditoria às contas. A direcção visada deverá reagir nos próximos dias

Waldemar Tadeu fundamenta as suas acusações sobre a direcção de Valdino Sima numa “análise técnica” feita às contas do Conselho Provincial da Ordem dos Advogados, cujos resultados, na sua perspectiva, afiguraram- se como sendo “desastrosos”, na medida em que a anterior direcção incorre em várias irregularidades de gestão dos fundos da organização, a começar pelo não pagamento de alguns impostos.

Enquanto Valdino Sima, por “imperativo de agenda”, manifestase indisponível para a imprensa, Tadeu juntou apoiantes e jornalista, numa unidade hoteleira de Benguela para proceder ao lançamento da sua campanha, tendo denunciado a alegada prática de má-gestão supostamente praticada pela presidência que cessa funções. “Pôr termo à letargia dos órgãos colegiais e à comercialização dos cursos para futuros advogados, pôr termo ao desvio de fundos na Ordem, impondo melhor gestão dos recursos decorrentes das quotas e das acções de formação”, manifestou.

À imprensa, o candidato Waldemar Tadeu referiu que, caso mereça a confiança dos associados, empenhar-se-á na revisão dos planos curriculares de formação para os futuros advogados em Benguela. Segundo disse, os vigentes deixam muito a desejar na componente “qualidade”, por não aportarem nada daquilo que são os desafios para o exercício da advocacia. “O que ocorre actualmente?

Nós temos algumas sessões de formações que acontecem apenas aos sábados. Nós pretendemos reformular, de maneira a estabelecer um calendário em que, ao longo dos 6 meses, possam existir acções de formações mais consolidadas e sustentadas. Propomos que as acções não se limitem apenas a meras acções corriqueiras”, disse. Por outro lado, o jurista compromete- se a prestar assistência técnica e jurídica a cidadãos desprovidos de meios financeiros à luz do que estabelece a Constituição. Para ele, hoje, a Ordem fica muito aquém no cumprimento deste pressuposto constitucional, daí que defenda a revisão do actual quadro.

O presidente-cessante, Valdino Sima, promete falar para alguns órgãos de comunicação social nos próximos dias, reagindo, obviamente, às acusações a si imputadas pelo seu colega concorrente ao cadeirão máximo da instituição.

Candidatos ao cargo Está aberta desde segundafeira, dia 4 de Novembro, a campanha eleitoral para o cadeirão máximo do Conselho Provincial da Ordem dos Advogados, para o qual concorrem duas listas, A e B, sendo a primeira encabeçada pelo jurista Waldemar Tadeu e a outra por Valdino Sima, presidente- cessante. Feita a abertura, os candidatos agora desdobram-se em acções que visam convencer os associados a apostarem em projectos que cada um deles tem para a Ordem em Benguela.

error: Content is protected !!