candidatos a liderança dos angolanos no Reino Unido em debate

a recém criada Confederação das Associações Angolanas no Reino Unido (CAARU), organização que pretende garantir “mais união” entre as associações angolanas que actuam em solo britânico, vai eleger amanhã o seu órgão directivo por meio de voto

Os quatro candidatos que concorrem aos cargos de direcção da futura “associação mãe” das associações angolanas no Reino Unido, nomeadamente Antônio Aguiar, Wanda Santana, Mário Agostinho, os três para a posição de presidente da organização e Emanuel Sebastião, este último candidato único para o cargo de Presidente do Conselho Jurídico e Disciplinar, estiveram na passada Quarta-feira, 6, em Londres, num “frente à frente” onde apresentaram as suas propostas eleitorais Numa sessão de debate de aproximadamente duas horas, os candidatos, cada um a seu modo e jeito, utilizaram o seu tempo para manifestarem as suas principais intenções caso vençam as eleições.

Wanda Santana é formada em Linguística pela Universidade de Westminster e reside no Reino Unido há mais de três décadas. Ela que representa a associação “Kianda”, uma organização que se dedica ao ensino da capoeira entre outros em Londres, elegeu a defesa da representatividade das mulheres, e outras minorias, nos espaços de decisão, como a sua bandeira de “combate”.

Acredita que a figura da mulher tem sido negligenciada e que mais precisa de ser feito no sentido de alterar o quadro actual. “As mulheres têm constrangimentos no dia-a-dia que as limitam de participar nestes espaços e se não se olhar para estes constrangimentos nem se criar mecanismos de combate a eles, elas nunca irão participar”, defende a única senhora candidata à presidência da confederação.

Já Mário Agostinho, 51 anos de idade, mestre em Ciências da Educação, que fala em nome da associação AUSA de Birmingham, pretende, caso tenha sucesso nas eleições, focar as suas energias em uma gestão “transparente e rigorosa” tendo em conta a desconfiança que gestões danosas criam nas organizações.

Para além disto, Mário diz-se muito preocupado com a situação da criminalidade e falta de apoio a certos segmentos da comunidade angolana no Reino Unido pelo que pretende trabalhar com a maior proximidade possível das pessoas.

António Aguiar, 53, é formado em economia e vive no Reino Unido há 29 anos. Pela sua experiência enquanto angolano neste país defende que muito precisa de ser feito no sentido de se unir mais a comunidade.

Emanuel Sebastião, 44, prometeu, caso eleito presidente do Conselho Jurídico e Disciplinar da organização, estar ao lado dos futuros líderes da organização para “velar que as leis da constituição da organização sejam cumpridas”. Segundo José Gomes “Utola”, pela Comissão Instaladora da CAARU, 40 delegados são esperados para a assembleia constitutiva da organização que irá eleger o seu corpo directivo amanhã Domingo, 10 de Novembro, em Londres.

Recorde-se que a Confederação das Associações Angolanas no Reino Unido (CAARU) é um projecto que visa agrupar as diversas associações angolanas que actuam em solo britânico, no sentido de unirem esforços para um trabalho com melhor e maior impacto.

A iniciativa foi lançada pelo ex-embaixador de Angola naquele país, Rui Carneiro Mangueira, o que resultou na constituição de uma comissão instaladora que durante 60 dias teve a missão de criar as condições legais e logísticas para a materialização do projecto.

error: Content is protected !!