Carta do leitor:Bairro da Pedreira clama por segurança

      Por:  Cuélar Almeida Cacuaco, Luanda

Boa noite, caro director. É com muito orgulho que volto a escrever para o Jornal O PAÍS. Tem sido hábito falar sobre criminalidade neste espaço. Sim. Mas, é importante que toquemos nisto quando a nossa segurança é colocada em causa. Já aqui havia falado sobre o meu bairro (Pedreira) que estava a dar sinais de melhoria. Afinal, não é bem assim. Verdadeiramente, estava enganado. Digo que foi ilusão de óptica. Entretanto, estou aqui para manifestar o que sinto. Não quero ferir sensibilidades. Até porque não é a minha intenção. Quero apenas esclarecer o que tenho visto. É duro, mas vou ter que dizer isso. Muitas esquadras foram construídas, principalmente em Luanda. E qual tem sido o resultado? Zero. Os efectivos da Polícia Nacional não têm feito nada. Ganham muito dinheiro e não se esforçam para justificarem o salário porquê? As pessoas que mandam neste país precisam de saber o seguinte: os efectivos da Polícia Nacional têm de ser constantemente alertados de que a delinquência tem vindo a ganhar “fama” nos últimos tempos, sobretudo, nos municípios de Viana, Cazenga, Cacuaco, Belas (concretamente no bairro Sapu 2) e destrito urbano do Sambizanga Quem vive nesses municípios sabe o que acontece ali. Não se recomenda andar nos becos mexendo no telemóvel. Não se pode andar de noite, inclusive se estiveres sozinho. É o caso do bairro da Pedreira (Cacuaco). Ontem, mais uma vida se foi. Um senhor que tinha 41 anos foi morto em consequência de um assalto. Aquilo ocorreu de dia e ,segundo os moradores daquele bairro, o malogrado até não resistiu quando lhe abordaram, mas mesmo assim foi alvejado com três tiros. As pessoas de direito têm que saber que não estão a envidar esforços para que se diminua a criminalidade. Parece mentira, mas em Luanda já não se anda com segurança, quer seja à noite ou à luz do dia.

 

error: Content is protected !!