Falta de professores deixa nove mil alunos fora do ensino no Amboim

Cerca de nove mil crianças em idade escolar residentes na Gabela, capital do município do Amboim, província do Cuanza-Sul, ficaram fora do sistema no presente ano lectivo por falta de professores, revelou Francisco Mateus, ontem, em entrevista a OPAÍS

O governante, que diz estar preocupado com essa situação, esclareceu que a maior dificuldade que enfrentam para ultrapassar este constrangimento está relacionada com a falta de professores para cobrir toda a sua área de jurisdição.

A título de exemplo, revelou que nas 58 escolas do ensino primário aí existentes, o número de professores que têm não atinge 40 por cento “Temos crianças fora do sistema e muitas delas não é por falta de escolas, mas de professores para fazer essa cobertura”, afirmou.

Apesar disso, Francisco Mateus garantiu que esta cifra irá reduzir com a implementação do Programa de Intervenção Integrado dos Municípios (PIIM), uma vez que o mesmo prevê a construção de mais quatro escolas, com sete salas de aulas cada.

“Com a implementação do PIIM vamos reduzir, construindo mais escolas de sete salas de aulas cada, o que nos possibilitará ter 56 salas que serão frequentadas por 45 alunos por turno, em cada uma delas. Vai reduzir bastante”, revelou.

Segundo Francisco Mateus, a construção de tais infra-estruturas vai-se prolongar por mais dois anos e será acompanhada com o aumento gradual da quantidade de professores aí destacados.

Já um dos professores do ensino primário da circunscrição, que aceitou falar a OPAÍS sob anonimato, como medo de sofrer represálias, apontou a carência de materiais didácticos e outros meios de ensino e aprendizagem como outra grande batalha a ser vencida.

A ausência de tais meios, segundo o nosso interlocutor, tem contribuído para o fraco aproveitamento escolar. Porém, o Governo tem evidenciado esforços para colmatar essa situação. Enfrentam ainda o desafio de convencer os pais sobre a importância de enviarem os seus filhos à escola, em vez de os levar aos campos agrícolas para cuidar das plantações.

Ainda no sector da Educação, a cidade da Gabela compreende uma escola do II Ciclo do ensino secundário, um Magistério Primário e escolas do I Ciclo e do ensino primário. De realçar que 4 mil e 744 cidadãos se inscreveram para concorrer a uma das 1.414 vagas para professores disponíveis no concurso público da Educação de 2019 para o Cuanza-Sul.

De acordo com dados do Gabinete Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia local, essa parcela do território nacional necessita de 1.965 professores para cobrir as vagas existentes no sector e inserir as crianças que se encontram fora do sistema de ensino.

A carência de instituições de ensino superior neste município, que contam com 279 mil 840 habitantes, está a ser colmatada com a entrada em funcionamento do Núcleo do Instituto Superior Politécnico de Porto Amboím.

De acordo com Francisco Mateus, deste modo muitos jovens e adultos viram nessa instituição a possibilidade de aumentarem o seu conhecimento sem terem, necessariamente, de se deslocarem para outros municípios. “Nós temos 270 habitantes por quilómetro quadrado. Temos muita concentração de pessoas num espaço reduzido. Daí a nossa preocupação em melhorar o saneamento básico, porque um mínimo descuido é fatal para nós”, frisou.

O Amboím é o segundo maior município da província do Cuanza-Sul, depois do município do Sumbe, em termos geográfi cos, com uma superfície de mil e 27 quilómetros quadrados. É também o segundo com maior densidade populacional. Tem duas comunas ofi ciais, o Assango e a Gabela, sendo esta a sede do município, e ainda três áreas administrativas não ofi ciais, as Salinas, Honga e Boa Entrada.

error: Content is protected !!