Queimadas anárquicas afl igem as administrações de Caconda, Caluquembe e Chicomba

As administrações dos Municípios de Caconda, Caluquembe e Chicomba, no Norte da província da Huíla, estão preocupadas com o elevado índice de queimadas anárquicas que se registam nas suas circunscrições

A preocupação foi manifestada durante a leitura do relatório sobre a situação sócioeconómica dos três municípios feita pela administradora municipal de Chicomba durante a segunda reunião ordinária do Governo Provincial, realizada no Sábado.

Na ocasião, Dina Massanga Duma Berner Domingos disse que as queimadas anárquicas, associadas ao abate indiscriminado de árvores, estão a contribuir para a redução das chuvas.

Segundo a governante, a redução das chuvas tem vindo a prejudicar a vida das populações nos três municípios, que se dedicam principalmente à agricultura, embora esta região não esteja afectada pela seca.

“Um dos constrangimentos que as administrações têm encontrado no seio da população tem a ver com a destruição da flora com o abate indiscriminado de árvores para o fabrico de carvão, bem como as queimadas anárquicas para a abertura de novos campos agrícolas”, revelou.

Entretanto, para a preservação da flora e da fauna, a administradora municipal de Chicomba advogou a necessidade de se construir infra-estruturas de preservação de plantas em via de extinção.

Por outro lado, Dina Domingos disse que, para o fomento da agricultura nestes municípios, que constituem o triângulo do milho na província da Huíla, torna-se necessário a abertura de canais de irrigação ao longo dos rios que atravessam estas localidades.

Face às potencialidades agrícolas dos municípios de Canconda, Caluquembe e Chicomba, a administradora afirmou ainda ser necessária a construção de um Instituto Médio Agrário na região.

Instituto Superior de Educação pode reduzir abandono de professores Sem precisar a quantidade, a administradora municipal de Chicomba disse que os três municípios registam um elevado índice de crianças fora do sistema normal de ensino.

Dina Domingos explicou que essa situação se tem agravado com o abandono de serviço por parte de muitos professores que buscam a elevação do seu nível académico na capital da província da Huíla.

Para se inverter a realidade, recomendou aos membros do Conselho de Auscultação e Concertação Social a construção de um Instituto Superior de Ciências da Educação, bem como a contratação de novos docentes.

A responsável defendeu igualmente a construção de mais salas de aulas. No presente ano, o município de Chicomba foi contemplado com apenas 33 vagas para a admissão de docentes em diversas especialidades, ao passo que Caluquembe teve 44 vagas.

“Apesar deste número irrisório, ainda acreditamos que poderá ser minimizado o défice de professores que enfrentamos”, explicou. O município de Chicomba tem ainda sete salas de aulas por concluir nas comunas do Quê e de Cutenda, cujas obras foram iniciadas em 2013.

error: Content is protected !!