Rui Sampaio e FAFUSA em “guerra” de palavras

rui Sampaio, técnico da Coprat de Luanda, acusa a Federação Angolana de Futebol Salão (FAFUSA) de estar a travar o desenvolvimento da modalidade no país. Entretanto, a Federação desvaloriza as declarações do treinador

O treinador da Coprat de Luanda, Rui Sampaio, considerou ontem, na Rádio Cinco, que o estado do Futebol Salão (Futsal) é péssimo, porque o presidente da Federação Angolana de Futebol Salão (FAFUSA), Noé Alexandre, está rodeado de más pessoas.

O antigo seleccionador nacional aconselhou a federação apostar na base, ou seja, na formação caso contrario em Angola não se faz futsal, excepto no Centro e no Sul do país. “Na altura em que estavam a criar o campeonato provincial de Luanda, chamei a atenção ao vice-presidente da Associação, porque achei que estavam a ir pelo caminho errado.

Mas, como sempre o Rui Sampaio como não é bem visto, apenas ignoraram”, lembrou. Rui Sampaio diz que é importante mudar o cenário. Para isso, tem de se pensar primeiro em mudsr as pessoas que estão àfrente da FAFUSA, porque aquele presidente está muito mal rodeado e criou-se por ali muito vício.

FAFUSA responde

O secretário-geral da Federação Angolana de Futebol Salão (FAFUSA) Elísio Major, considerou o que tudo que o técnico da Coprat disse é pura mentira. Elísio Major explicou que o senhor Rui Sampaio tentou há dias minimizar a relação que temos com a Federação Angolana de Futebol (FAF) e tentou por intermédio de uma pessoa na FAF pedir uma licença internacional para um jogador que terá jogado na equipa dele, mas usou o caminho errado.

“Não respondemos, porque estamos a esperar que a federação russa de futebol envie os documentos. Aliás, nós trabalhamos assim”, disse. O mesmo acrescentou que em 2005, quando tomaram posse, houve uma proposta da comissão liderada pelo senhor Luís Morão na tentativa de erradicar Rui Sampaio por agressão a um árbitro, logo o senhor em causa não pode minimizar a competência da FAFUSA

error: Content is protected !!