João Lourenço reafirma reformas

O Presidente de Angola foi recebido na manhã desta Terça-feira, 12 de Novembro, numa audiência privada, pelo Papa Francisco, um encontro que marcou o início da visita de dois dias que João Lourenço está a fazer ao Vaticano a convite do Papa

  O Presidente da República, João Lourenço, considerou, nesta terça-feira, “irreversíveis” as reformas iniciadas no país desde que assumiu a chefia do Estado angolano, a 26 Setembro de 2017.

Em entrevista à Rádio Vaticano, o Chefe de Estado sublinhou a necessidade de prosseguir com o combate à corrupção e ao nepotismo.

“Temos que seguir em frente”, frisou o Presidente, para quem as dificuldades económicas que o país enfrenta serão superadas.

Quanto ao encontro com o Papa Francisco, na manhã desta terça-feira, enfatizou o conhecimento do Sumo Pontífice sobre a realidade do país.

João Lourenço destacou o impacto da Igreja Católica em Angola, nomeadamente na busca de soluções para os desafios que o país enfrenta, entre os quais a crise económica e a seca cíclica nas províncias do Cunene, Namibe e Cuando Cubango.

“A Igreja Católica foi e é um grande parceiro, sempre presente em todos os cantos do país”, reiterou o Presidente.

Por último, o Presidente angolano mencionou as boas relações com outros países africanos e com a comunidade internacional em geral, tendo dirigido palavras de apreço e melhores votos aos angolanos na diáspora, “até que regressem à Pátria verdadeira”.

A agenda de quarta-feira, segundo e último dia da visita ao Vaticano, prevê uma passagem pelos monumentos principais da cidade-Estado.

Está previsto a ida à Basílica de São Pedro e à Capela Sistina. João Lourenço vai ainda prestar homenagem ao primeiro embaixador do reino do Congo junto da Santa Sé, Dom António Manuel Nvunda “Negrita”, depositando uma coroa de flores na sua sepultura.

Primeiro encontro com o Papa

O encontro de João Lourenço com o chefe da Igreja Católica aconteceu por volta das 10.30 da manhã, naquele que era um dos momentos altos da agenda oficial da visita.

“Durante as cordiais conversações, nas quais foram enfatizadas as boas relações entre a Santa Sé e Angola e apreciada a contribuição da Igreja Católica em muitos setores da sociedade, foi dada especial atenção a alguns aspetos do acordo bilateral assinado no Vaticano a 13 de Setembro passado”, indica a nota oficial divulgada pela Santa Sé.

Recorde-se ainda que em Setembro de 2017, aquando da sua eleição como Presidente de Angola, João Lourenço deixou um agradecimento público ao Papa Francisco na sua página de Facebook: “Uma palavra especial para o Papa Francisco, reiterando a nossa predisposição de trabalhar em prol da coesão, harmonia e crescente prosperidade de Angola e dos Angolanos. Muito obrigado!”

Para além do chefe de Estado, da delegação angolana fazia também parte a primeira-dama, Ana Lourenço e na tradicional troca de presentes, João Lourenço ofereceu ao Papa um quadro que representa uma mãe e uma filha, em trajes tradicionais.

A agenda de amanhã, segundo dia da visita, prevê “uma passagem pelos monumentos principais da cidade”, como a Basílica de São Pedro e a Capela Sistina, e João Lourenço vai ainda prestar homenagem ao primeiro embaixador do Reino do Congo junto da Santa Sé, depositando uma coroa de flores na sepultura de D. António Manuel Nvunda “Negrita”.

(com PLATAFORMA)

error: Content is protected !!