Editorial: Estradas, dívidas e sonhos

As obras de aslfatagem do troço Cuito – Camacupa, no percurso de 82 quilómetros, paralisadas desde 2017, na Estrada Nacional 250, foram retomadas na semana passada, anunciou na Terça-feira, citado pela ANGOP, o governador provincial do Bié, Pereira Alfredo. Portanto, aos bienos, agora resta rezar para que a estrada seja concluída, já que a paralisação se deveu a uma dívida do Estado à ENGEVIA, a empreiteira.

Se Camacupa tem potencial para a produção de grãos em larga escala, então esta estrada merece prioridade, tal como o cuidado com o caminho-de-ferro que por lá passa.

Mas, para já, em termos de expectativas, o melhor é pararmos mesmo em Camacupa, porque o resto desta estrada, integrada no Corredor do Lobito e que a leva até ao extremo do Moxico… isto é apenas um sonho.

error: Content is protected !!