Três mil candidatos concorrem a 400 vagas no sector da Educação na Huíla

Cerca de 3.000 candidatos realizam amanha, na província da Huíla, exame de admissão para o sector da Educação, no âmbito do concurso público de provimento de vagas aberto pelo Ministério que o dirige

A nível nacional, os exames de admissão arrancam amanhã, 15 de Novembro, para avaliar as capacidades técnico-pedagógicas dos candidatos. Na província da Huíla foram inscritos mais de 3 mil candidatos nos mais variados níveis de ensino geral do país. Esta informação foi avançada em exclusivo a OPAÍS pela directora do Gabinete Provincial de Educação, Paula Baptista, durante as comemorações do 44º aniversário da Independência nacional, cujo acto central decorreu no município de Chicomba, a 220 quilómetros da cidade do Lubango.

A responsável disse que estão criadas todas as condições para que a prova de exame de acesso decorra sem sobressaltos em toda a província da Huíla. Para o efeito, foi constituída uma equipa forte no corpo de jurados, com vista a se evitar possíveis fraudes durante a realização dos exames nos 14 municípios da província.

“Nós temos uma comissão de júri muito forte, composta por técnicos do Gabinete de Inspecção do Governo Provincial, e ainda quadros da Inspecção do nosso Gabinete. Viajamos por todos os municípios para garantir a lisura do processo” explicou.

Mais de 100 candidatos excluídos das listas provisorias

A directora do Gabinete Provincial da Educação revelou que para o presente concurso de admissão ao sector que dirige foram excluídos mais de 100 candidatos em toda a província da Huíla. Paula Batista Joaquim disse que a exclusão dos referidos candidatos deveu-se ao facto de estes não reunirem os requisitos que de um tempo a esta parte têm vindo a ser exigidos pelo Ministério da Educação.

“O concurso obedece a termos de referência estabelecidos por despachos e é nos termos de referência que o júri se deve guiar. Fizemos duas viagens por toda a província e percebemos que foram inscritos candidatos que não reuniam os requisitos previstos nos termos de referência e estes já foram excluídos”, revelou. Por outro lado, Paula Baptista Joaquim informou que, além dos requisitos, serão admitidos apenas aqueles candidatos que conseguirem ter uma excelente classificação em todas as disciplinas em exame. Entretanto, o sector da Educação na Província da Huíla contabiliza um total de 18.678 professores.

Concurso não prevê admissão de pessoal administrativo

O concurso público de admissão ao sector da Educação não prevê a contratação de pessoal para a área administrativa, o que pode dificultar o pleno funcionamento das escolas, uma vez que elas não são feitas apenas de professores.

Segundo fez saber a directora, a admissão de pessoal administrativo não foi contemplada neste edição do concurso, o que joga por terra o sonho de muitos jovens formados no ensino geral, ou nos cursos Pré Universitário (PUNIV), do primeiro emprego. “Na área administrativa, não.

Os termos de referência para o concurso de 2019 são para professores do ensino primário, tem de ser formado na área de educação e para o ensino secundário, estes, sim podem ter outras especialidades, dependendo das vagas de cada escola”, detalhou.-

error: Content is protected !!