85 mil candidatos “discutem” 10 mil vagas na Educação hoje

Bié, Zaire e Malanje são as províncias que registaram maior procura, por serem aquelas que foram beneficiadas com mil vagas cada pelo Ministério da Educação. Luanda foi contemplada com apenas 154 lugares

Por:Milton Manaça

Depois do período de inscrições, que decorreu de 1 a 28 de Outubro, a que se seguiu um momento de análise dos processos individuais, os candidatos seleccionados serão hoje submetidos ao exame escrito nas categorias em que concorrem. Nos exames, segundo a directora nacional dos Recursos Humanos do Ministério da Educação (MED), Laudemira de Sousa, concorrem 85 mil candidatos que vão disputar as 10 mil vagas.

Esta etapa decisiva do processo acontece em simultâneo às 9h em todo o país, com término previsto para às 12h. Para os candidatos a professores do ensino primário, o MED elaborou uma única prova a nível nacional, enquanto os candidatos para o primeiro e segundo ciclo farão as provas de acordo com a disciplina em que se inscreveram, a ser elaborada localmente.

Para este ano, as províncias do Bié, Malanje e Zaire foram contempladas com mil vagas cada, enquanto as demais ficaram com 489 vagas para os diversos níveis de ensino, de acordo com as necessidades definidas pelos governos locais. Entretanto, Luanda foi excepção, tendo-lhe sido atribuídas apenas 154 vagas, exclusivamente para o Complexo das Escolas de Arte (CEARTE), no município Tolatona, para os cursos de Cinema, Música, Dança, Artes Visuais e Plásticas e Teatro. No concurso público de 2018, em que foram admitidos mais de 18 mil novos professores, a capital do país foi contemplada com a maior ‘fatia’, 2650 vagas para os homens do giz dos três níveis de ensino.

Mais 135 mil afastados em 2018 No ano passado, mais de 135 mil candidatos foram excluídos dos exames escritos de acesso por vários factores, entre os quais a idade e falta de agregação pedagógica, perfis exigidos para os concorrentes a professor. Luanda foi a mais beneficiada, com maior número de vagas, e foi também a que registou maior concorrência, com rácio de oito candidatos por vaga, uma vez que foram admitidos para o exame um total de 22 mil e 467 concorrentes. Depois da divulgação dos resultados definitivos, o MED afastou todos os candidatos com menos de 10 valores, antes admitidos na primeira lista de apurados, tendo ficado por preencher 1253 lugares.

A província do Bié foi a mais afectada por esta medida, provocando- lhe a perda de 402 vagas, sendo 139 no ensino primário, 121 no primeiro ciclo e 142 no segundo ciclo do ensino secundário.

Necessidades

Baixar o rácio professor/aluno é uma das prioridades do sector da Educação e para o cumprimento deste objectivo o sector prevê a contratação e formação de professores anualmente para que em cada sala de aula tenha no máximo 35 alunos para o ensino primário e 45 para o secundário. De acordo com dados divulgados no ano de 2018 pelo MED, o país tem um déficit de cerca de 70 mil professores para cobertura total e retirar os cerca de dois milhões de crianças que se encontram fora do sistema de ensino.

error: Content is protected !!