Novo presidente da UNITA é conhecido nesta Sexta-feira

Por:Ireneu Mujoco

Até ontem não havia quaisquer projecções que apontassem para a eventual vitória de um dos candidatos, e só mesmo nesta tarde é que vai ser conhecido o novo presidente deste partido O novo presidente da UNITA será conhecido esta tarde, altura em que será anunciado o resultado da votação (começa às 9 horas) dos mil e 150 delegados ao XIII Congresso Ordinário, que vão eleger o substituto do actual líder, Isaías Samakuva. Alcides Sakala Simões, Adalberto Costa Júnior, Abílio Camalata Numa, José Pedro Katchiungo e Raul Danda vão passar esta manhã pelo crivo dos congressistas, e quem merecer a confiança destes será o novo presidente da UNITA.

Segundo apurou este jornal, todos os concorrentes partem em pé de igualdade e admitem ter convencido os congressistas a votarem nos seus projectos, apresentados durante a campanha eleitoral decorrida de 7 de Outubro a 11 de Novembro, em todo o país. O adjectivo “derrota” não existe no seio dos concorrentes, sendo que todos mostram-se confiantes numa possível vitória, depois de terem contactado as bases durante o período da campanha eleitoral.

Até ontem, não havia quaisquer projecções que apontassem para uma eventual vitória de um dos candidatos, por isso, este conclave está a ser marcado por um “elevado grau de serenidade”, não só dos concorrentes, mas também dos próprios delegados, que têm a difícil tarefa de escolher o novo líder. Ainda nesta Quinta-feira, 14, houve um ligeiro atraso no cumprimento do programa, decorrente da falta de credenciamento de alguns congressistas, mas a situação não beliscou este segundo dia de trabalho, segundo o porta-voz da Comissão Eleitoral, Ruben Sicato. Em declarações à imprensa, informou que, ontem, o dia foi reservado para a discussão da limitação dos mandatos do presidente da UNITA, explicando haver delegados que defendem o seu alargamento para cinco anos, contra os actuais quatro.

Os actuais estatutos da UNITA não limitam os mandatos do presidente, e, neste conclave, os delegados pretendem que se fixe um número, havendo os que defendem um consulado de cinco mandatos, outros de seis e há ainda que pensa em sete. Após eleição do novo presidente, seguido do seu empossamento, Isaías Samakuva vai fazer hoje o seu último discurso como líder da UNITA, 16 anos depois ter tomado a frente desta força política. Samakuva substituiu o líder fundador deste partido, Jonas Savimbi, falecido em combate a 22 de Fevereiro de 2002, no Moxico, e foi eleito num conclave que permitiu transformar a UNITA de força militarizada em partido político.

error: Content is protected !!