Adalberto vai ter dois vices, um secretário-geral e este, dois adjuntos

Uma revolução na estrutura directiva do galo negro foi o que resultou da primeira reunião da Comissão Política do partido agora liderado por Adalberto Costa Júnior

 

A nova direcção da UNITA, encabeçada por Adalberto Costa Júnior, eleito anteontem para suceder a Isaias Samakuva, alterou, ontem, Sábado, na primeira reunião da Comissão Política saída do XIII Congresso, realizada no complexo Sovismo de Viana, em Luanda, a “estrutura directiva” deste partido, que passa a contar com dois vicepresidentes e igual número de secretários-gerais adjuntos.

Liberty Chyaka, até agora dirigente do partido na província do Huambo, vai desempenhar a função de líder do Grupo Parlamentar do partido na Assembleia Nacional, soube OPAÍS de fonte segura. Para primeira vice-presidente da UNITA foi escolhida Arlete Chimbinda, deputada que foi mandatária da candidatura de Adalberto Costa Júnior para a presidência do partido. E o segundo vice-presidente é Simão Albino Dembo. O posto de secretário-geral do partido passa a ser ocupado por Álvaro Daniel, que já dirigiu a UNITA em Luanda, coadjuvado pelo secretáriogeral adjunto Mwata Virgílio Samussongo, este que vem da Lunda-Norte, e por Lázaro Kakunha, que é o novo o secretário- geral adjunto para as Autarquias.

A nova equipa de topo da UNITA, além de ter uma mulher como vice-presidente, inova na duplicação dos postos de vice-presidente e de secretários- gerais adjuntos, justificados pela necessidade de dar maior organização, coesão e dinamismo ao partido, olhando para os desafios eleitorais que se avizinham e para a necessidade de o fazer crescer na sociedade angolana. Por outro lado, o contacto mais permanente do presidente do partido com o eleitorado está também na base das alterações estruturais na direcção, soube OPAÍS

error: Content is protected !!