Agrónomo desencoraja poda de árvore em tempo de calor e chuva

Diz-se atento ao corte que se tem sido feito às árvores de alguns centros urbanos, sub e peri-urbanos, por isso, o académico mostra-se preocupado com o impacto ambiental que o referido processo pode provocar aos seres vivos

Por:Alberto Bambi

O engenheiro  agrónomo, Adérito Costa aconselha as ins t ituições e indivíduos que procedem à actividade de poda em tempo de calor e, consequentemente, no período da reprodução e floração a consultarem especialistas da área, de modo a não ferir o ambiente. “A poda não deve ser feita quando se aproxima a fase de reprodução ou floração, para se evitar afectar o meio ambiente, o processo de polinização e parte da cadeia de alimentação das aves”, disse o engenheiro, demonstrando um possível erro, que, segundo aludiu, é encarado como mínimo, pode com prometer a vida dos seres vivos.

Relativamente aos problemas que o tempo de calor pode criar ao processo que consiste no corte e aparamento das árvores, Adérito Costa referiu que, nesta época do ano, pelo facto de o aquecimento atingir zonas sensíveis da árvore e de enfraquecer as suas defesas, ao ponto de criar putrefação na mesma, pode causar queda das referidas plantas ou gerar outras situações menos boas. Outra orientação prestada pelo entrevistado teve a ver com a proibição da poda em tempo de chuva, a fim de se prevenir uma possível contaminação das pragas por via da água das chuvas. Neste contexto, segundo explicou o especialista em ciências agrárias, pode haver corrida de água de uma árvore para a raiz de outra.

Aconselhou, igualmente, os sectores ou departamentos dos ministérios do Ambiente e da Agricultura a ajudarem as administrações comunais, distritais e municipais e ou governos provinciais com estudos e orientações precisas que possam contribuir para um desempenho exitoso no que à poda diz respeito. “Existem regras que devem ser observadas para a poda de árvores, por isso sugiro que as instituições do Estado a que fiz referência criem normas que defendam e punam a poda desregrada de árvores”, alertou o agrónomo, tendo chamado a atenção dos funcionários destacados a essas actividades para terem o cuidado na escolha de árvores a plantarem-se nas ruas da urbe. De acordo com Adérito Costa, igual cuidado devem ter os cidadãos que, em suas casas, têm árvores, de frutos ou não, plantadas nos quintais.

error: Content is protected !!