Polícias tapam buracos no Icolo e Bengo

O Dia Mundial das Vítima de Estrada, assinalado, ontem, 17, ficou marcado no Icolo e Bengo por uma operação tapaburacos desenvolvida pelo Comando da Polícia Nacional daquela circunscrição

O troço que liga Maria Teresa a Catete, considerado pelo Comando Municipal como o mais crítico, onde o número de acidentes e mortes tem vindo a crescer, sofreu a intervenção Fernando Carvalho, o presumível autor do crime aliciou a menor em troca de notas na disciplina que lecciona para a sua transição de classe. Fernando Carvalho esclareceu que a menor perdeu a criança por ter ingerido medicamentos que são destinados a ter esse efeito. Neste momento, o acusado encontra- se detido preventivamente, enquanto decorre a instrução processual. De realçar que estes não são os primeiros casos envolvendo professores e alunas registados este ano em Luanda. Após a menina ter recusado a proposta, o acusado forçou-a e manteve cópula ilícita com a mesma paliativa dos homens de farda azul, ontem, para assinalar o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Viação.

A acção visou, segundo o comandante municipal, Subcomissário Gabriel Capusso, facilitar a circulação e reduzir o número de acidentes que se regista naquele troço. “Sabemos que não é a nossa missão principal realizar este tipo de trabalho, mas olhamos, seguramente, para as vidas que se perdem neste troço. Sempre que for para preservar a vida humana, a Polícia Nacional vai intervir”, assegurou. Os automobilistas e moradores louvaram a iniciativa da Polícia Nacional, tendo considerado o troço do ex-mercado Municipal como o mais crítico, onde este ano, pelo menos, ocorreram mais de 20 acidentes, que resultaram em mais de 10 mortos e 25 feridos graves.

Esperamos que, com esta acção, mais sensibilidades possam compadecer-se com a causa. Fâ-la-emos de forma periódica, juntamente com os nossos parceiros e aguardamos uma intervenção mais profunda do Executivo. Por enquanto, na Polícia Nacional vamos intervir onde der”, reforçou o comandante municipal. No final, num dos locais mais críticos da via, que também sofreu a intervenção da Polícia com trabalho paliativo, os oficiais comissários, superiores e subalternos, subchefes e agentes observaram um minuto de silêncio em memória das vítimas de estradas e suas famílias. Para esta empreitada, o Comando Municipal da Polícia Nacional no Icolo e Bengo contou com as empresas GMST, sediada em Viana, Carmom e CIF, todas do ramo da construção civil.

error: Content is protected !!