carta do leitor: Será que alguém tem resposta?

Caro director O que é que se passa afinal no nosso país que a arte é suportada por estrangeiros? Não entendo e espero que o jornal OPAÍS produza matérias que me façam compreender o que se passa.

A maior parte das exposições artísticas de que vejo anúncios são realizadas em instalações apoiadas por governos estrangeiros, por que será?

Angola faz o mesmo nos outros países? É estranho, porque até já vi publicidade de empresas angolanas em Portugal, por exemplo, será que o dinheiro lá aplicado, onde até têm pouco consumo, ou nenhum , seria considerado desperdiçado se colocado em Angola para apoiar os artistas locais? E o Estado? Com tanto espaço mal aproveitado, não ocorre a ninguém a sua utilização para iniciativas artísticas de todo o tipo e para engajar jovens? Quando olho para a história de Angola, para a luta de libertação nacional, vejo literatura, venho arte, murais, música. Havia muita poesia.

O que se passa com os nossos libertadores? A arte só com a barriga vazia? É estranho, não é? E não estou a falar apenas de Luanda, onde os estrangeiros vão fazendo alguma coisa, no resto do país há um deserto mais seco do que o do Namibe. Se nas capitais de província algumas vezes acontecem algumas iniciativas, quase s emp r e em d a t a s comemorativas e politicamente seleccionadas e orientadas, nos outros municípios é mesmo o vazio. Alguém tem uma resposta para o que se passa?

Carlos Cardoso, Luanda

error: Content is protected !!