SNEBA apreensivo com privatização no sector bancário

O presidente de direcção do Sindicato Nacional dos Empregados Bancários de Angola (SNEBA), Felipe Makengo, disse esperar que o processo de privatização de algumas instituições financeiras do Estado assegure a manutenção dos funcionários.

Apreensivo com o impacto da venda das participações do Estado, a partir de 2020, o sindicalista referiu, que este será o melhor caminho, na eventualidade de o Estado vir a desfazer-se dos activos que detém no BAI, BCI, Banco Económico e Banco Caixa Geral Angola,

“Sabemos que o Estado não pode controlar tudo, mas é necessário salvaguardar o emprego dos funcionários. Pois, o sindicato tem acompanhado pormenorizadamente a situação, incluindo a do BPC, com vista a acautelar os interesses dos seus associados” – expressou.

Em função do tempo de trabalho dos funcionários, aventou Felipe Makengo, em entrevista à (hoje) Angop, alguns poderão ter a reforma antecipada e outros serem indemnizados.

Fundado em 1997, o Sindicato Nacional dos Empregados Bancários de Angola (SNEBA) é uma associação de trabalhadores que exercem a sua actividade profissional, como bancário, em instituições situadas em todo o território angolano.

error: Content is protected !!