Angola beneficia de 10 milhões de dólares para desenvolver projectos ambientais

o fundo Global do ambiente (Gef) disponibilizou 10 milhões de dólares para o desenvolvimento de projectos ambientais a nível do território angolano, revelou o presidente do gEF em Angola, Júlio Inglês, à margem do seminário regional da SAdC que decorre em Luanda desde ontem

O presidente da SADC para o fundo Global do Ambiente, Júlio Inglês, disse que o GEF é um dos parceiros importantes dos países da região em termos de financiamento de políticas e projectos ambientais, uma vez que muitos projectos de conservação da biodiversidade, da mitigação e adaptação às alterações climáticas, da protecção das terras, da gestão das águas internacionais e da redução da poluição do ambiente têm sido apoiadas pelo GEF.

No novo ciclo GEF7, que decorre desde ontem em Luanda, foram disponibilizados para Angola 10 milhões de dólares, para projectos ambientais, depois de em 2018 ter sido realizado o primeiro diálogo nacional para o Fundo Global do Ambiente. Já foram identificados os projectos prioritário do programa que podem ser financiados, e actualmente estão em fase de aprovação, pelo que o evento surge também com o propósito de aclarar os mecanismos de funcionamento do novo ciclo, tendo em conta que serão abordadas questões ligadas a biodiversidade, operações climáticas e a degradação dos solos.

De acordo com Júlio Inglês, as prioridades em Angola são as áreas de conservação, que englobam a educação ambiental, principalmente as comunidades que residem dentro dos parques, redução da caça furtiva, abate ilegal de árvores e o desmatamento desordenado das florestas. Vai ainda motivar a replantação de espécies de origem, criar santuários para os chipanzés, etc.

Este apoio ajuda ainda a criar centros de segurança dentro dos parques nacionais, fazer mapeamentos das espécies, principalmente as que se encontram em extinção. Há ainda um outro projecto ligado às bacias do Okavango Zambeze, que consiste em educar as comunidades, ou seja, dar continuidade aos programas que o Ministério do Ambiente vem desenvolvendo no Sul de Angola, em questões do combate à seca.

Apesar de terem alocado 10 milhões de dólares, o membro do conselho do GEF revelou que necessitam de mais para desenvolverem todos os projectos, tendo em conta que este valor será partilhado entre diferentes departamentos ministeriais, com o objectivo de encontrar consenso a nível do país, não apenas para programas ambientais, mas também para sectores comerciais.

O seminário regional da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) está a ser realizado pelo Ministério do Ambiente em parceria com o Fundo Global do Ambiente. No local serão também discutidos projectos ligados às águas internacionais, o que tem a ver com pescas no mar, bem como cidades sustentáveis, programas integrados, programas de reciclagem, transformação de resíduos, energias renováveis, infra-estruturas.

Os programas foram designados como projectos do impacto do GEF7. Para além dos países da SADC, participam no evento países de outras regiões do continente africano, que acompanham os debates e dão as suas contribuições, partilhando experiências sobre os projectos especialmente os regionais com os países vizinhos por forma a melhorar a interactividade entre governos.

O evento é rotativo e anualmente é realizado em vários países da região da SADC, com o objectivo de transmitir os pontos focais políticos e operacionais a nível da zona, bem como transmitir aos coordenadores dos projectos e às instituições governamentais os ciclos de financiamento para programas ambientais, no sentido de apoiar os desafios de desenvolvimento sustentável.

error: Content is protected !!