EUA vão expandir sanções contra programa nuclear do Irão

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que o seu país não isentará de sanções o centro nuclear iraniano de Fordo, ampliando assim as restrições contra o programa nuclear do país persa. “A quantidade de urânio enriquecido que o maior Estado financiador do terrorismo pode ter é zero […]

Não existe nenhuma razão legítima para retomar o enriquecimento nesta instalação anteriormente clandestina”, declarou Pompeo a jornalistas ontem, (19). Teerão havia anunciado ainda neste mês a retomada do enriquecimento de urânio na central nuclear de Fordo, a qual esteve inacessível para inspecções da ONU até 2009, conforme publicou a agência de notícias Reuters.

A posição de Pompeo foi apoiada pelos senadores republicanos Ted Cruz, Lindsey Graham e Liz Cheney. “Não há justificativa para estender as isenções, tendo em vista a recente confirmação de que o Irão está a violar as suas obrigações [sobre a produção de] água pesada”, declararam os senadores em nota.

Isenções ao programa nuclear

Após os Estados Unidos terem abandonado o acordo nuclear JCPOA, o governo Trump impôs sanções contra o programa nuclear de Teerão. No entanto, algumas instalações nucleares do país persa ficaram isentas de tais sanções. A central nuclear de Fordo era uma delas, o que propiciou a colaboração com a corporação nuclear estatal russa Rosatom.

error: Content is protected !!