PRODEL com uma disponibilidade de 90% de electricidade

A Empresa Nacional de Produção de Electricidade (PRODEL) tem actualmente disponíveis 5 mil e 400 megawatts, o que corresponde a 90 por cento da capacidade instalada, para interligar os sistemas norte e centro do país. Até 2016, a produção da PRODEL contava com uma produção de 2 mil e 300 megawatts, mas os investimentos feitos nas barragens de Laúca (Malange) e Cambambe (Cuanza -Norte), Central de Ciclo Combinado do Soyo e outros contribuíram para o crescimento “vertiginoso” da produção da PRODEL, tendo disponível agora mais de 5 mil MW.

Ao falar à margem do seminário de capacitação sobre a Lei dos Contratos Públicos e Modalidades de Fiscalização, uma iniciativa do Tribunal de Contas, o presidente do conselho de administração da PRODEL, José António Neto, disse que a empresa está em crescimento, tendo em conta os investimentos feitos nas infra-estruturas.

Outro trabalho feito foi a interligação dos sistemas Norte e Centro, permitindo que a energia chegue às províncias do Bié, Benguela e Huambo. Também estão em curso trabalhos para a interligação dos sistemas centro, sul, norte e leste, para que toda a capacidade de geração de energia possa servir o país e reduzir as assimetrias que ainda se assistem no domínio do acesso ao fornecimento de electricidade à população.

“Há estudos já realizados e neste momento estão a ser programados os investimentos, e acredito que a interligação dos sistemas serão concretizadas”, avançou, José António Neto. Durante o seminário, os especialistas do Tribunal de Constas chamaram a atenção dos técnicos da PRODEL e da Rede Nacional de Transporte de Energia (RNT) para a necessidade da observância da Lei dos Contratos Públicos e os princípios da ética.

error: Content is protected !!