III edição do FENACULT realiza-se sob o signo da Independência Nacional

a iii edição do Festival Nacional de Cultura (FENACULt) será realizado em 2020, durante os festejos do 45º aniversário da Independência Nacional celebrado, anualmente, em Novembro

A garantia é da ministra da Cultura, Maria Piedade de Jesus, que falava durante a 40ª Sessão da Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que decorre em Paris, França, até ao dia 23 deste mês. Este acto celebrativo no próximo ano incide sobre os dez anos da política cultural nacional, que deverá ser actualizada. Para o efeito, a programação do (FENACULT), será no âmbito da celebração do 45º aniversário da proclamação da independência nacional.

O aludido certame, Piedade de Jesus fez saber, inclui um simpósio sobre a cultura nacional com vista a actualizar a política cultural. “Os participantes deverão ter em conta, de entre outras, as reflexões à volta dos objectivos do desenvolvimento sustentável no que concerne à contribuição da cultura para a paz e o diálogo, as conquistas da bienal de Luanda, a gestão e a utilização responsável do património cultural e dos recursos naturais e a preservação dos ecossistemas”, adiantou a titular da pasta da cultura.

Ganhos da Bienal Maria Piedade de Jesus aproveitou a ocasião para apresentar as valências obtidas aquando da realização da Bienal de Luanda, Fórum panafricano para a cultura de paz, corealizado pelo Governo angolano, a União Africana e a UNESCO de 18 a 22 de Setembro deste ano, cujo mote assentou no diálogo e na paz. Segundo a ministra, além do festival das culturas, durante os cinco dias da Bienal, quatro «fóruns» foram organizados com a participação activa de mais de 600 participantes: representantes de governos, a sociedade civil, o sector privado, as organizações internacionais africanas e a diáspora.

Com o aporte dos representantes de empreendimentos, organizações internacionais, bancos, fundações, organizações culturais e desportivas, o fórum dos parceiros debruçou-se sobre a mobilização dos recursos para a implementação dos projectos em todo o continente e na diáspora, com o fim de promover a paz.

Temáticas

O fórum das ideias foi, por sua vez, uma plataforma de reflexão para a partilha de ideias e experiências no quadro da promoção de uma África pacífica e próspera através da disseminação de boas práticas e soluções inovadoras. Tratou-se, nomeadamente, nesse espaço, da prevenção da vilência e da resolução de conflitos através da cultura e da educação, a gestão dos recursos naturais, os refugiados, os repatriados, a presença africana no mundo inteiro, os médias livres, independentes e pluralistas para promover a paz e o desenvolvimento.

No que diz respeito aos jovens, o seu fórum foi um espaço de intercâmbio e de reflexão para os jovens africanos do continente e da diáspora à volta dos temas recorrentes e actualmente incontornáveis tais como, por um lado, a juventude, a paz e a segurança, e, por outro lado, a criatividade, o empreendedorismo e a inovação.

Por fim, o fórum das mulheres foi uma oportunidade para realçar o papel das mulheres enquanto agentes da paz em África e intercambiar as boas práticas para reduzir a vulnerabilidade das meninas e das mulheres face à violência.

Edições anteriores

De salientar que a I edição do Festival Nacional de Cultura foi realizado faz agora 30 anos, isto é, em 1989. Entretanto, a II edição foi realizada 25 anos depois, no pretérito ano de 2014, não superando o sucesso da I edição, até hoje, quer pelos criadores das diversas manifestações artísticas e culturais, bem como da população que testemunhou todo aquele acto, aguardado com alguma expectativa em 2020.

error: Content is protected !!