Falta de farinha de peixe reduz produção de ovos no país

A falta de farinha de peixe no mercado nacional está a preocupar os pequenos e médios avicultores que prevêem queda na produção de ovos, caso o problema não seja resolvido nos próximos dias

O facto foi denunciado pelos avicultores, nas últimas semanas, que não sabem aonde recorrer para adquirir o produto. A farinha de peixe é a principal matéria-prima para a produção de ração, produto que serve para alimentar as galinhas. É um produto protéico obtido do processamento industrial de subprodutos da pesca. Segundo o Presidente da Associação dos Avicultores de Angola (ANAVI), Rui Santos, a falta de farinha de peixe no mercado nacional afecta a actividade dos avicultores, essencialmente a produção de ovos.

“Contactámos os produtores de farinha de peixe, na província de Benguela e do Namibe, mas já não têm o produto para comercializar porque exportaram para outros pontos“, ressalta. Por outro lado, a matéria-prima de produção nacional não responde às necessidades dos avicultores . Rui Santos acredita que os produtores estão a exportar a matériaprima para adquirir divisas.

Segundo o empresário, os produtores de farinha de peixe têm uma lista das necessidades da associação, porém não assumem as responsabilidades. Em sua opinião, é necessária a intervenção do Governo pelo facto de ser um problema constante, nesta época do ano. “Infelizmente, é uma situação que já aconteceu nos últimos anos, estou a falar dos anos 2016 e 2017. Na altura, chegamos a escrever para o
Ministério das Pescas, mas nada foi feito”, explica.

Os membros da ANAVI tiveram, recentemente, um encontro com o secretário de Estado da Agricultura e Pecuária, José Carlos Bettencourt, para dar a conhecer o problema. No seu entender, a questão da matéria-prima deve ser resolvida para que o país não volte a importar ovos e outros produtos . “Temos de crescer a todos os níveis para ajudar no desenvolvimento e dar empregos, que é o grande objectivo “, disse.

O responsável referiu que o sector avícola é um dos mais dinâmicos, que dá resposta imediata às necessidades do mercado. “O Governo conseguiu cortar a importação de ovos há três anos, que é uma mais valia. É verdade que este ano registou-se um decréscimo na produção, pela dificuldade de aquisição de divisas “, explica .

Rui Santos reconhece que o apoio do Governo aos avicultores tem ajudado muito, apesar da crise económica, mas o próximo ano espera-se maior produção de ovos. A associação conta com mais de 120 produtores membros.

error: Content is protected !!