Partido Comunista da China é a ‘nova ameaça’ para a OTAN

O secretário de Estado dos EU A, Mike Pompeo, declarou que o Partido Comunista da China representa a “nova ameaça” para a OTAN, 70 anos após a fundação da aliança

‘A nossa aliança tem de enfrentar a actual e potencial ameaça a longo prazo que o Partido Comunista da China representa”, declarou Pompeo em conferência de imprensa após a reunião de representantes dos países-membros da OTAN em Bruxelas, Bélgica. Ainda segundo Pompeo, a razão desta ameaça estaria na diferença de valores e de crenças da OTAN e do Partido Comunista da China, segundo palavras do secretário publicada na página da Secretaria de Estado dos EUA.

“Não podemos ignorar as diferenças fundamentais e crenças entre os nossos países e o Partido Comunista da China”, afirmou a autoridade americana. Rússia e Irão Além da China, Mike Pompeo não poupou críticas à Rússia e ao Irão, incentivando os membros da aliança a tomarem uma posição mais dura contra estes dois países e a China.

“Trinta anos mais tarde [depois do fim da Guerra Fria], estamos a enfrentar ameaças de regimes autoritários, e novamente devemo-los enfrentar juntos. Rússia, China e Irão os seus sistemas de valores são bem diferentes do nosso. Eles vão em contramão[…] Temos a responsabilidade e o dever de os confrontar”, acrescentou Pompeo.

issão da aliança Durante a conferência de imprensa, Pompeo relembrou os 70 anos da existência da aliança, criada no contexto da Guerra Fria, e os 30 anos da queda do Muro de Berlim. Ultimamente, a essência e missão da aliança têm sido abordadas em declarações de diversos líderes mundiais.

No último dia 7, o presidente francês, Emmanuel Macron, disse que a OTAN estava a passar por um momento de “morte cerebral”. Por sua vez, com o seu discurso em Bruxelas, Pompeo declara ao mundo os “novos inimigos” da aliança, segundo a estratégia dos Estados Unidos, o que parece dar uma nova missão de longo prazo para a OTAN: “confrontar a Rússia, a China e o Irão”.

error: Content is protected !!