Projecto de água na Quilenda beneficia 28 mil famílias

Pelo menos 28 mil famílias do município da quilenda, província do Cuanza-Sul, beneficiam de água potável, segundo o director municipal dos Serviços Técnicos e Infra-estruturas, José Agostinho Diogo

Em entrevista a OPAÍS, José Agostinho Diogo explicou que com a entrada em funcionamento de um novo sistema de distribuição, chafarizes e lavandaria o projecto, que se enquadra no âmbito do programa “Água para Todos”, poderá beneficiar mais famílias. Neste momento têm água no bairro da Canheca, Bairro Azul, Bela Vista, na Umba de Caxaxi, bairro Sangui, entre outros, e dentro de alguns “Projectos de água para Todos” foram contemplados com sete projectos em diversas localidades do município.

“Esta água abrange 28 mil consumidores e, no momento da inauguração, nós sensibilizamos a população no sentido de fazerem uma contribuição por cada família, de 100 Kwanzas no fim do mês mas muitos não aceitam contribuir”, contou. O responsável garantiu que, neste momento, de água estão bem servidos, mas já passaram por momentos difíceis, devido à construção da estrada que liga o município do Amboim ao da Quilenda.

“Tivemos uma dificuldade no fornecimento de água, porque as tubagens tinham sido danificadas. Felizmente já foram repostas dentro da vila e ao longo da via ainda estão a repor. Por essa razão, fornecemos água quatro vezes por semana”, garantiu. José Agostinho Diogo disse terem um sistema de captação em condições, que lhes facilita o fornecimento de água sempre que necessário. Uma vez ou outra encontram dificuldades por falta de químicos, mas a administração tem evidenciado esforços no sentido de aquisição dos produtos para o tratamento da água.

Um jovem nato da Quilenda, Bento Cassoma, explicou que têm tido alguns problemas de água potável, e existem pessoas bebendo água das cacimbas, uma situação que provoca muitas doenças diarreicas.

Ainda assim, o jovem agradeceu o gesto do Governo na construção do sistema de abastecimento de água às populações, visto que muitos deixaram de percorrer longas distâncias para conseguirem o precioso líquido. Sobre a energia eléctrica, o jovem disse ser um problema que gostaria de ver resolvido no seu município, uma vez que o desenvolvimento de qualquer localidade depende exclusivamente de energia e água.

Mais de 200 pessoas beneficiam de energia na vila da Quilenda

Segundo o director municipal dos Serviços Técnicos e Infraestruturas, José Agostinho Diogo, actualmente o seu município está com um fornecimento de energia razoável, uma vez que a Administração recentemente fez a aquisição de um grupo de geradores de 500 KVA que trabalha há mais de uma semana, fornecendo energia das 18 horas até às 6 horas, e aos finais de semana das 12 às 6 horas da manhã.

“Fornecemos energia às populações que vivem na sede do município e nos bairros arredores. Temos feito esforços no sentido de mandar energia aos bairros mais distantes. Aqui na vila estamos a fornecer energia para cerca de 250 pessoas, para além das escolas e hospitais”, contou.

No entanto, para que as pessoas tenham energia eléctrica, cada família contribui com três mil Kwanzas por mês, um acordo que tem sido cumprido. “No passado tivemos um grupo de geradores que já apresentava dificuldades e isso fez com que os nossos consumidores em certas localidades não tivessem energia eficaz.

Também os condutores que temos em algumas áreas estão danificados e precisam de manutenção e uns até de substituição, mas a Administração tem estado a trabalhar no sentido de melhorar o fornecimento de energia”, garantiu. O município da Quilenda, que possui uma comuna e dois sectores administrativos, faz parte dos 12 da província do Cuanza-Sul e conta com uma população de 109 mil e 490 habitantes.

error: Content is protected !!