Igreja Evangélica disponibiliza 180 mil dólares para o combate à seca

A Igreja Evangélica Congregacional em Angola junta-se ao Governo Provincial da Huíla, no programa de combate e mitigação dos efeitos da seca que assola centenas de famílias no Sul de Angola, disponibilizando 180 mil dólares americanos, que serão investidos em diversos projectos sociais

Por:João Katombela, na Huíla

Numa primeira fase, o dinheiro disponibilizado está a ser usado para a construção de seis sistemas de captação e armazenamento de água para o consumo humano, bem como para o gado nas comunas do Dindi e Impulo, município de Quilengues. De acordo com o director nacional do Departamento de Assistência Social Estudos e Planeamento da IECA, Alcides Nunda, um dos três sistemas de captação, armazenamento e distribuição de água projectados para a comuna do Impulo já está concluído e entregue à comunidade.

O sistema funciona com uma bomba que capta o precioso líquido de uma fonte construída no leito do rio, no processo de colocação de manilhas, para um tanque reservatório com uma capacidade de 5 mil litros. “Este é o projecto da igreja que visa ajudar o Executivo a resolver os problemas que afligem a comunidade, sobretudo nesta época em que a seca assola centenas de famílias”, disse. O projecto, que está ser financiado pela Igreja da Noruega, tem a duração de três anos e está a ser aplicado nas províncias da Huíla e Cuanza-Sul, com vista a reduzir os efeitos da seca.

Na comuna do Impulo, onde foi igualmente construído um bebedouro, o referido sistema vai fornecer água a 696 famílias, bem como, permitir a irrigação de um hectare preparado para a agricultura. Para a administradora adjunta de Quilengues, Pancrácia Hossi, a parceria com a Igreja Congregacional em Angola (IECA) vai permitir a resolução de muitos problemas sociais, particularmente na questão da seca. “Agradecemos a parceria da IECA e o esforço que tem feito, que vem minimizar as carências de muitas famílias por causa da seca, um pouco por todo o país” reconheceu.

No município de Quilengues, mais de 9 mil famílias são afectadas pelos efeitos da seca que assola o país, pelo que o Governo Provincial da Huíla trabalha actualmente na distribuição de bens alimentares. Na Huíla, os municípios mais críticos são os do Sul e Leste, como o dos Gambos, Chibia, parte da Matala (comuna do Mulondo), Jamba (Tchamutete), Quilengues e os fronteiriços do Lubango, como Cacula, assim como algumas regiões do Quipungo e Humpata.

error: Content is protected !!