Investimentos podem elevar produção de diamantes

O subsector dos diamantes, em Angola, vai investir, em 2020, US D 200 milhões, para elevar a produção de 11,3 milhões para 13,8 milhões de quilates por ano de pedras preciosas. A necessidade de investimento no sub-sector diamantífero passou de US D 128,7 milhões, em 2017, para US D 200,9 milhões, em 2018, e US D 215,7 milhões em 2019. Com os investimentos feitos foram recuperados 6,1milhões de quilates em 2017, 8,8 milhões em 2018 e 11,3 milhões de quilates em 2019.

A Endiama terá a necessidade de investir mil milhões de dólares nos próximos cinco anos para pôr em funcionamento os projectos de capital intensivo. De acordo com o administrador da Endiama, Laureano Paulo, que falava à imprensa, durante a cerimónia de encerramento da “1ª Conferência e Exposição Internacional do Sector Mineiro”, em função desta realidade e em termos de necessidade financeira, esforços deverão ser precisos no sentido de se conhecer as melhores fontes de financiamento.

“Só desta forma poderemos tornar os projectos funcionais”, disse o responsável, tendo admitido ser fundamental a exploração de linhas de crédito para a exportação e pré-financiamento de projectos mineiros, por parte das empresas compradoras na fase produtiva. A julgar pela capacidade de atracção de investidores, sobretudo estrangeiro, o número de contratos assinados e outros projectos, as necessidades financeiras podem ascender aos 2 a 3 milhões de dólares por ano, segundo Laureano Paulo. Sem avançar números, destacou o projecto da mina do Luaxe que será explorado, a partir de 2020, pela sociedade mineira de Catoca e parceiros.

Banca no sector mineiro

O financiamento do sector mineiro em Angola ainda é tímido por parte dos bancos comerciais. Para Laureano Paulo, existem poucos bancos no país que desconhecem a geociência dos vários projectos do sector que precisam de financiamento. “A banca comercial tem evoluído o seu contributo no sector, apesar de se verificar pouca agressividade”, considerou. O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) e o VTB África são um dos poucos em Angola que apostam em financiar projectos do sector. Olhar para outros bancos universais que possam conceder financiamentos será uma das acções a ter em conta. A 1ª Conferência e Exposição Internacional do Sector Mineiro, aberta pelo Presidente da República, João Lourenço, decorreu nos dias 20 e 21 do corrente mês.

error: Content is protected !!