Três traficantes detidos com nove quilos de cocaína no aeroporto

O Serviço de Investigação Criminal, em coordenação com as demais forças que compõem o Ministério do Interior (MININT), desenvolveu algumas actividades de investigação que resultaram na detenção, ontem, de três cidadãos, um angolano, uma moçambicana e uma sul-africana, acusados de tráfico de droga

Detidos no Aeroporto Internacional “4 de Fevereiro”, os três cidadãos, dentre eles um pastor, tentavam passar com cocaína. No caso das duas senhoras de nacionalidade estrangeira, a droga não teria como destino final a cidade de Luanda, mas sim Maputo, o homem detido é angolano. As investigações vêm de há muito tempo, porquanto a cidadã sul-africana, segundo o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do MININT, subcomissário Waldemar José, ter-se-ia deslocado ao Brasil de onde trouxera um quilo e meio de cocaína que entregou à cidadã moçambicana, que a deveria levar à Maputo.

Em Maputo, e porque o grupo de malfeitores já tinha tudo esquematizado, a droga seria entregue a um casal de pessoas de duas nacionalidades, nigeriana e moçambicana. As transportadoras, neste caso a sul-africana e a moçambicana, deveriam receber 20 mil rands e 1000 dólares respectivamente. O angolano detido também tinha viajado ao Brasil, onde recebeu a droga, camuflada, num total de 7 quilos e 500 gramas, em duas caixas de aspiradores, que teriam como destino o nosso país.

Segundo o subcomissário, o cidadão de nacionalidade angolana pertencia a um grupo de malfeitores que se dedicavam ao tráfico de drogas e as subsequêntes investigações prosseguem para o desmantelamento de toda a rede e apresentação eventual de um suposto barão. Os vôos provenientes de Brasil são considerados pelas forças policiais como “de risco”, com maior número e quantidadede de droga, o que faz com que as forças redobrem a atenção. Recentemente foram incinerados 856 quilos de cocaína resultantes de operações feitas na província de Luanda.

error: Content is protected !!