Mais de 900 alunos deixam de estudar ao ar livre na Taka

Um total de 950 alunos do ensino primário vão, a partir do próximo ano lectivo, deixar de estudar ao ar livre e debaixo de árvores na localidade da Taka, comuna da Palanca, município da Humpata, província da Huíla, com a inauguração de uma escola com 12 salas de aula

O estabelecimento de ensino geral foi construído pelo Governo Provincial da Huíla, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos (PIP) de 2019, com vista a reduzir as dificuldades que o município da Humpata atravessa no sector da educação. Na ocasião, os alunos manifestaram a sua satisfação pelo empreendimento recebido, numa mensagem lida por Júlia Miguel, na qual os pequenos garantem cuidar da mesma para que venha a servir por mais tempo.

“Agradecer ao executivo pela construção deste empreendimento num cenário económico difícil, o que demonstra a preocupação do executivo com a educação, como principal pilar para a construção sustentável da sociedade angolana.

Da nossa parte fica o compromisso de cuidar deste bem público como uma jóia preciosa, porque só assim poderá servir para muito mais pessoas”, disse. A rede escolar no município da Humpata é composta por 49 estabelecimentos de ensino, um número ainda irrisório, tendo em conta a quantidade de alunos que ainda estudam ao ar livre

. O director Municipal da Educação na Humpata, Saturnino Kassanga, informou que o número de salas de aulas ao ar livre existente na sua zona de jurisdição ainda é preocupante, o que aumenta ainda mais a necessidade de investimentos no sector. “Nesta altura, o município da Humpata conta ainda com 198 turmas ao ar livre, isso significa que além desta escola ,ora inaugurada, precisamos ainda de um número significativo de escolas para albergar as turmas que ainda estão ao ar livre” revelou.

Por esta razão, os alunos na comuna da Palanca, município da Humpata, exortam ao Governo Provincial a redobrar a atenção ao sector da educação no sentido de corrigir o quadro. “Aos nossos pais e encarregados de educação, professores, a nós alunos que constituímos a comunidades escolar, vai o apelo de que estejamos mais presentes na vida da escola e que tudo façamos para o fortalecimento da capacidade institucional.

Não queremos terminar esta mensagem, sem mais uma vez apelar ao Governo Provincial e Municipal para não se cansar, nunca, de medir esforços no sentido de resolver os problemas da educação, sobretudo os relacionados com a falta de salas de aula”, recomendou Júlia Miguel. Além das 12 salas de aula, a referida escola, dispõem ainda de um auditório, quadra polidesportiva, enfermaria, casas de banho e uma área de estacionamento para viaturas.

error: Content is protected !!