Turquia recusa aceitar plano da OTAN de ‘defesa’ contra a Rússia, segundo a mídia

A Turquia se recusou a apoiar o plano da OTAN de defesa dos países da região do Báltico e da Polónia, informaram fontes da aliança, citadas pela agência de notícias Reuters.

Fontes da OTAN citadas pela Reuters informaram que a Turquia não apoia o plano da aliança sobre a “defesa” dos países do Báltico e Polónia contra a Rússia. Com isso, as autoridades turcas ordenaram ao seu representante na OTAN que mantenha uma posição firme nos encontros e audiências privadas, exigindo do bloco militar que reconheça oficialmente as forças curdas como terroristas.

“Elas [as autoridades turcas] mantêm os europeus orientais como reféns, bloqueando a aprovação deste planeamento militar até obterem concessões”, disse uma fonte diplomática à agência. Outra fonte chamou a conduta da Turquia de “destrutiva” para a OTAN. ‘Ameaça russa’ As declarações sobre uma suposta ameaça russa são anunciadas frequentemente por políticos ocidentais, e com mais frequência pelos países da região do Báltico e Polónia.

Com isso, Moscovo sublinhou repetidas vezes que a Rússia não tem intenções de atacar nenhum dos países da OTAN. Segundo o chanceler russo, Sergei Lavrov, a OTAN sabe bem que a Rússia não tem planos de atacar, mas usa essa alegada ameaça como motivo para instalar mais equipamento militar perto das fronteiras da Rússia.

Em julho de 2016, durante a reunião da OTAN, em Varsóvia (Polônia), foi tomada a decisão de implantar na Lituânia, Letónia, Estónia e Polónia um batalhão internacional da OTAN em cada país. O Reino Unido, Alemanha, Canadá e os EUA assumiram a formação dos batalhões.

error: Content is protected !!