OGE 2020 reserva mais de 45 mil milhões para programas da agricultura

Fomento da produção agrícola e da pecuária são alguns dos programas inscritos no orçamento Geral do estado (oGe) 2020 que está em preparação na Assembleia Nacional, cuja aprovação final acontece em Dezembro do ano em curso

Apesar de ainda ser insuficiente, como consideram alguns entendidos, o certo é que a fatia reservada ao sector da agricultura no Orçamento Geral do Estado (OGE) tem crescido de ano para ano.

O realce vai para o fomento da produção agrícola com 33.052.787.271,00 Kwanzas, representando 0,21% e fomento da produção pecuária 12.518.708.242,00 de Kwanzas, uma percentagem de 0,08% do global planificado para o exercício económico de 2020. Segundo o presidente da Cintura Verde de Luanda, Mito Silva, a fatia atribuída 0,21% para o fomento da produção agrícola no país ainda é pouca e não satisfaz as necessidades dos produtores.

Segundo ele, a agricultura é um sector “chave” para a diversificação económica e carece de um grande investimento. “Recebemos tractores que estão distribuídos por brigadas para mecanizar as terras, mas ainda não há sementes e fertilizantes que é preciso importar”, explica. Mito Silva lembra que o país possui solos férteis e o sector agrícola tem produção todo o ano, contudo é necessário imputes agrícolas para aumentar a safra. Por sua vez, o director da Agricultura no Namibe, Félix Gabriel, também defende que a agricultura necessita de uma fatia maior nos.

Para o director provincial da Agricultura da terra da Welwitschia Mirabilis, uma maior aposta no fomento de produtos agrícolas vai permitir minimizar a fome e a seca que se vive no Namibe. “Vamos dar continuidade a projectos para o desenvolvimento económico, que consiste nos pólos agrícolas. Por outro lado, a criação dos pólos de desenvolvimento nesta região, tem ajudado a combater a fome e a pobreza no seio das famílias, fundamentalmente aquelas que vivem no interior”, explica.

No acto de apresentação do Relatório de Fundamentação do OGE, o Ministro de Estado da Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior disse que “prevê-se para o Orçamento Geral do Estado de 2020, uma retoma do crescimento económica, quando se espera uma taxa de crescimento económico de 1.8%, onde o sector não petrolífero terá um crescimento de 1.9%”, disse.

Para ele, “é fundamental dar destaque aos sectores como a agricultura, pescas, indústria transformadora, que deverão garantir os recursos necessários para sairmos efectivamente do campo negativo em que nos encontramos do ponto de vista de crescimento económico”, reconheceu.

O OGE 2020 comporta receitas estimadas em 15.875.610.485.070,00 de Kwanzas (quinze bilhões, oitocentos e setenta e cinco mil milhões e seiscentos e Dez Milhões, Quatrocentos e Oitenta e Cinco Mil e Setenta Kwanzas), e despesas em igual montante.

 

error: Content is protected !!