Até 2050, Angola vai precisar de 70% de alimentos a mais

As autoridades sustentam estes dados apegando-se no crescimento da população angolana e na elevada taxa de natalidade que se regista no país

Por:Brenda Sambo

A afirmação é do director do Gabinete para Desenvolvimento Económico Integrado do Ministério do Comércio, Joaquim Gimbi O responsável falava no encerramento do 3º Workshop de Formação sobre “Revisão Nacional de Exportações Verdes de Angola” que decorreu durante uma semana na província do Uíge, e disse que esta perspectiva percentual representa um grande desafio para o país e em particular para a província do Uíge. Referiu que esses indicadores evidenciam a necessidade de se criar meios de produção mais sustentáveis para alimentar uma população crescente, reduzir as importações e proteger o meio ambiente.

Por isso, reiterou a necessidade de se apostar fortemente no aumento da produção nacional e na diversificação da economia. Avançou afirmando que a agricultura é a variável com maior potencial, por isso, espera- se que a transição para uma economia mais verde contribua para a criação de mais empregos, com vista a reduzir a pobreza, isto sem esquecer o aumento das receitas não petrolíferas, a protecção ambiental e a equidade social. “Desenvolver a agricultura é, no mínimo, duas vezes mais eficaz do que outros sectores para reduzir a pobreza,” sublinhou, tendo acrescentado que a mesma “tgem um alto potencial para reduzir as emissões de carbono e mitigar os efeitos do aquecimento global da terra”.

O governante acrescentou ser importante continuar a apoiar os agricultores para, desta forma, aumentar a produção nacional e a qualidade das suas colheitas. Por isso, para além de insumos (produtos) e in-put (instrumentos agrícolas), no quadro do programa de melhoria das vias de acesso serão priorizadas as zonas de maior produção agrícola. Em suma, a realização deste encontro foi uma oportunidade para os agricultores e outros actores compartilhem conhecimentos e compromissos, disse .

O evento contou com quase uma dezenas de participantes oriundos de várias províncias e insere-se no âmbito das actividades de formação do Programa Conjunto “UE-CNUCED de Apoio a Angola,” denominado (Train for Trade II), uma componente do Projecto de Apoio ao Comércio (ACOM) financiado pela UE. O mesmo visou capacitar os quadros angolanos, membros de associações, produtores, académicos e sociedade civil no aprimoramento das competências em matéria de análise das políticas nacionais para a promoção e desenvolvimento do café, da banana e de outras frutas tropicais, incluindo temas ligados à harmonização e certificação de produtos, bem como a transferência transversal do conhecimento sobre promoção de produtos verdes e processos de exportação.

error: Content is protected !!