Carta do leitor:Não gostei, João Lourenço!

Por:Pedro Sousa ,Luena – Moxico

Olá, caro director. É pela décima sexta vez que escrevo para o vosso jornal. O assunto de hoje recai para a recente declaração do Chefe de Estado angolano, João Lourenço, citada pela imprensa pública, na abertura da II reunião ordinária do Comité Central do MPLA decorrida na Sexta-feira. Durante o seu discurso, João Lourenço, que vem perdendo a sua popularidade, disse que “a segurança no país está ultrapassada”. João Lourenço fez saber que a Polícia Nacional tem feito um esforço tremendo para garantir a segurança da população. O nosso Presidente, que está a lutar para nos tirar da crise, acredita que os efectivos da Polícia Nacional têm feito patrulhas à noite e à luz do dia. João Lourenço acha que a onda de mortes que se registam nos últimos dias, em consequência de assaltos à mão armada, não se relacionam com a crise económica que Angola enfrenta desde 2014. O meu pai ouviu aquelas declarações e não gostou. Também não gostei. Não sei o que lhe deu naquele momento. Não sei quem escreveu o discurso que ele leu na reunião do seu partido. O Presidente do MPLA, João Lourenço, não poderia ter dito aquilo. Antes de ter feito aquelas declarações, João Lourenço tinha que saber o seguinte: o número de bandidos no país, os assaltos à mão armada, bem como as mortes continuarão a aumentar quanto o desemprego prevalecer e enquanto a fome estiver em destaque no seio das famílias angolanas.

error: Content is protected !!