Mais de 200 mil pessoas foram parar às urgências do Hospital Geral

O director do Hospital Geral de Luanda, uma unidade hospitalar de referência na cidade, disse, nas primeiras jornadas multidisciplinares, que, de Janeiro a Outubro do corrente ano, as urgências registaram 221.199 consultas

O hospital em questão tem cinco bancos de urgências, nomeadamente a pediatria, medicina, cirurgia, ortopedia, genecologia obstetrícia e de otorrinolaringologia. Estes bancos, do grosso de pessoal que acorreu ao HGL, absorveram 221.199 doentes, sendo que outra parte, 80.707, foi para as consultas externas. Têm mais consultas de urgência que externas também porque têm poucos médicos e a maior parte destes está concentrada nas urgências. “Este ano recebemos mais 10 médicos e acreditamos que venhamos a receber mais, pelo que no próximo ano vamos ver se mudamos este quadro (de muita gente nas consultas de urgência) ”, disse.

O hospital tem seis salas de bloco operatório a funcionar, tem um total de 350 camas, 101 berços e 12 incubadoras. Foram realizados no mesmo período (Janeiro a Outubro de 2019) um total de 8.935 partos e 3.649 cirurgias. Aquele responsável tem fé em que, com a implementação do programa de triagem Manchester, poder- se-á minimizar bastante o impacto do baixo número de profissionais.

O programa consiste em dar uma pulseira aos pacientes, com cores diferentes, sendo que cada cor simboliza a gravidade da sua situação e/ou a urgência em ser atendido, bem como os minutos para ser atendido. Uma outra preocupação que a direcção do Hospital Geral de Luanda tem é com o número de doentes que têm sido abandonados naquela unidade hospitalar. Em média, são abandonados 12 a 15 pacientes, o que obrigou o hospital a ter uma equipa de assistentes sociais que ajudam nos sentido de encontrar os familiares dos pacientes.

error: Content is protected !!