Ozango Mineiras investe USD 10 milhões na prospecção de metais raros

A montagem da mina está na agenda para o próximo ano, no município do Longonjo/Huambo, mas a exploração só terá o seu início em 2021

Por:Norberto Sateco

O gestor nacional do projecto “Ozango Minerais”, Edson Mario, prevê a conclusão da fase de prospecção de terras raras na região do Longonjo ainda este ano. Sem revelar o investimento global do projecto, o responsável informou que, pelo menos nesta primeira fase de prospecção, foram gastos mais de 10 milhões de dólares americanos.

Edson Mário explicou que os metais magnéticos a serem futuramente explorados representam uma alta utilidade no sector da indústria automóvel para os motores de carros elétricos, turbinas eólicas e também para uma vasta gama de secadores de cabelos, termómetros, inclusive telemóveis. “Terminamos agora o pré estudo de viabilidade, estamos para apresentar ao Ministro dos Recursos Mineiros e Petróleos para discussão; pode ser que haja alguma alteração relativa ao código mineiro”, disse, para quem a luz verde sobre este dossier será determinante para a conclusão do estudo de viabilidade já em Janeiro.

O gestor classificou o projecto ambicioso, pois considera ser uma ferramenta das forças motrizes das novas energias limpas, um mercado que é detido mundialmente em 60 por cento pela China. “O nosso pais precisa de diversificar a economia para multiplicar as fontes de receitas”, disse Edsom Prevê-se a criação de 200 empregos directos e 100 indirectos, com destaque para a mãode -obra local. O projecto começa a ser explorado em 2020 numa parceria entre as empresasFerrangol- EP, angolana, e a australiana Pesana.

error: Content is protected !!