Ex-candidato a bastonário da Ordem dos Engenheiros aguarda decisão do Tribunal

Depois de ter sido afastado do pleito eleitoral sob alegação de omissão de perfi l, o então aspirante a bastonário da Ordem dos engenheiros (OeA), Barnabé raimundo, viu o tribunal a condenar réus envolvidos no processo, acusados nos crimes difamação e injúria. Pede ao Tribunal Provincial de Luanda a anulação do pleito que conduziu ao cadeirão o engenheiro Paulino neto

Por: Milton Manaça

O processo remonta ao ano de 2017, quando Barnabé Raimundo viu a sua lista afastada pela comissão eleitoral da corrida a bastonário da OEA, a quatro dias das eleições, por alegado envolvimento de uma empresa do então candidato da lista B, num crime que decorria em sede de tribunal. Dois anos depois, Barnabé Raimundo viu o tribunal sentenciar em seu favor três dos cinco arguidos acusados de injúria e difamação, segundo o acórdão lido pelo juiz Adélio Chocolate, na semana fi nda. Entretanto, o engenheiro Barnabé Raimundo entende que o problema só estará totalmente resolvido quando o tribunal se pronunciar sobre as eleições de 2017 e considerar nulo o processo que conduziu o candidato da lista A a bastonário.

O assunto decorre na Sala do Cível da 1ª Secção do Tribunal Provincial de Luanda depois de o ex candidato ter considerado fraudulenta e injusta a impugnação da sua lista. “Do mesmo jeito que fui considerado inocente neste processo, espero que o Tribunal resolva também o problema da eleição, porque, apesar de estar a limpar o meu nome, para mim isso é uma questão de honra, tanto mais que muitos engenheiros angolanos apostaram em mim”, disse. Segundo Barnabé, o processo que agora transitou em julgado servirá também como prova de que o seu afastamento da corrida a bastonário foi uma cabala para que não houvesse um processo eleitoral justo e com mais de uma candidatura.

Eleições em 2020

Apesar de o mandato da actual direcção terminar já em Março de 2020, o interlocutor disse que vai continuar a lutar para que justiça se faça, para que seja reposta a legalidade e os engenheiros angolanos possam escolher livremente os seus representantes. Questionado sobre se vai voltar a candidatar-se a bastonário no próximo ano, Barnabé Raimundo disse que enquanto não se clarificar a situação de 2017 não dará nenhuma resposta a essa pergunta. “Continuo a ser membro da Ordem e pago as minhas quotas regularmente. Fui a esperança para muitos engenheiros e vamos primeiro resolver este problema, só depois verei se ainda mereço e tenho a confi ança dos engenheiros”, disse.

Em 2017, depois de ter sido afastado do pleito eleitoral sob alegação de “omissão de identidade do perfi l”, o então aspirante a bastonário pela Ordem dos Engenheiros (OE), Barnabé Raimundo, fez uma participação ao Tribunal Provincial de Luanda contra a Comissão Eleitoral (CE) com vista à anulação da decisão. Importa realçar que o Tribunal condenou em primeira instância os réus Sebastião Ventura e Kátia Ramos a pena de prisão de 35 dias no âmbito da responsabilidade penal, e os dois de forma solidária com o Jornal de Angola e o cidadão Kumuenho da Rosa, a uma indemnização no valor em Akz de 25.000.000,00 (vinte e cinco milhões de Kwanzas) no âmbito da matéria cível. Já os réus António Caldas e Antônio José Ribeiro foram absolvidos pelo tribunal.

error: Content is protected !!