Geingob vence a eleição presidencial da Namíbia com 56,3% dos votos

O actual Presidente da Namíbia, Hage Geingob, venceu a eleição presidencial de 2019 com 56,3% dos votos, disse a Comissão Eleitoral da Namíbia (ECN) no Sábado, sobrevivendo ao maior escândalo de corrupção do país, uma recessão económica e um partido no poder fracturado

Geingob, o terceiro líder da Namíbia desde que o país escassamente povoado e quase árido se libertou dos grilhões do apartheid da África do Sul em 1990, estava em busca de um segundo e último mandato nas eleições de 27 de Novembro. Eleito pela primeira vez em 2014 com 87% dos votos, Geingob obteve 56,3% e evitou uma possível reincidência contra um membro do seu próprio partido, Panduleni Itula, que concorreu como independente. Itula, um dentista que se tornou político, ficou atrás com 29,4% dos votos e o líder do partido oficial da Oposição, McHenry Venaani, ficou na terceira posição com 5,3%. Geingob disse às multidões que estava orgulhoso por as eleições serem livres e justas.

“Sou apenas um namibiano orgulhoso de podermos ter eleições livres e justas, sem brigas, sem atacar uns aos outros, com liberdade de movimento”, disse Geingob. Na votação legislativa para escolher 96 membros do Parlamento, o partido no poder perdeu a maioria de dois terços ao conquistar 63 assentos, contra 77 do mandato anteriors, enquanto o partido oficial da Oposição, o Movimento Popular Democrático (PDM) de Venaani, obteve 16 assentos, melhorando do total de cinco em 2014 na câmara legislativa. O líder da oposição Venaani disse à Reuters que eles estavam a pensar em abordar os tribunais sobre “anomalias e irregularidades” durante a eleição.

error: Content is protected !!