Já é Dezembro… nem se nota!

Ostentar de forma despudorada a pobreza também não é bonito, sobretudo quando se pode ter alguma dignidade. O que se passa com Luanda, por exemplo, e julgo que no país inteiro, não é nada parecido com snobismo retardado, muito menos é uma espécie de afi rmação de consciência filosófi ca seja do que for.

É vergonhoso. Não viria mal algum ao mundo se as autoridades administrativas puxassem só um pouco pela cabeça para montar nas cidades alguma ideia de Natal. Está bem que as coisas não estão para festas e esbanjamentos (questionável, na questão dos esbanjamentos de alguns), mas há uma tradição cristã que é preciso praticar.

Há uma mensagem de Natal que não pode ser deixada cair só para os que mandam fi ngirem que estão a apertar o cinto. Todos sabemos que não é assim nas suas casas. Nas cidades, ao menos a parte colectiva do espírito do Natal seria obrigação de mostrar, já que os pobres de verdade, estes, sabemos, não poderão ter mais do que isso.

Não há dinheiro, mas o Governo não precisa de vestir a pele de Scrooge, principalmente depois da propaganda de que Lauca já produz electricidade na sua plenitude. E, então, nem luzes de Natal nas cidades? Parece- me haver muita hipocrisia nisto tudo.

É que nem dá para um pai de família sair com os fi lhos para ver as luzes de Natal na cidade e dar-lhes alguma ilusão de dignidade, sonho. Não que antes houvesse muitas luzes, mas também nada obriga ao apagão total. Neste Dezembro, o clima está pesado ya!

error: Content is protected !!