Conflitos atrapalharam o desenvolvimento do país, afirma Vicente Pinto de Andrade

o académico, que falava no segundo dia de trabalhos do Colóquio Internacional sobre a História do MPLA, disse que as escolhas feitas pelo partido no poder para desenvolver o país, se tivessem sido feitas num ambiente de paz, Angola hoje seria economicamente diferente

O nacionalista Vicente Pinto de Andrade falou de como as divergências políticas internas e externas atrapalharam o processo de construção do país levada a cabo pelo MPLA. O também académico afirmou, na sua dissertação, sob o tema “MPLA e os desafios económicos e sociais na época de 1980 a 1985” , que as escolhas feitas pelo seu partido para desenvolver o país, se tivessem sido feitas num ambiente de paz, Angola hoje seria diferente no que a economia diz respeito. Por seu lado, o economista Alves da Rocha falou da situação socioeconómica e política do país, com a sua abordagem focada no o primeiro Congresso Extraordinário do MPLA em 1980. “Muitas das situações nesta altura identificadas e interpretadas, hoje permanecem exactamente na mesma.

O que foi feito para se ultrapassar esses aspectos na altura, embora em contextos diferentes, constituíram obstáculos ao desenvolvimento do país”, notou. De acordo com Alves da Rocha, o primeiro Congresso do MPLA definiu as tarefas essenciais da fase de reconstrução nacional, subordinando aos objectivos estratégico da edificação da democracia popular e a criação das bases materiais e técnicas do socialismo.

Avançou que a situação económica, social e institucional do país no período de 1978 a 1980 foi marcada pela criação de um novo modelo de produção, passando a economia a ser cada vez mais dirigida pelo Estado em prol da solução dos objectivos nacionais. O II Colóquio Internacional sobre a História do MPLA encerra hoje, com a abordagem de outros temas da trajectória histórica do partido.

error: Content is protected !!